keyboard_backspace

Página Inicial

Cidades

Vereadora quer que prefeitura de Camboriú cumpra a lei do descarte de medicamentos vencidos

Segundo a lei municipal, além de oferecer o recipiente, as farmácias públicas e privadas da cidade devem colocar os recipientes em locais de fácil acesso, mantê-los limpos e organizados e criar campanhas e materiais gráficos que incentivem as pessoas ao descarte correto de seus medicamentos vencidos.

As farmácias municipais da Prefeitura de Camboriú, além de algumas farmácias privadas comerciais da cidade, não cumprem a lei que determina a oferta de recipientes específicos para que a população possa jogar fora e de maneira correta seus medicamentos vencidos. Por isso, a vereadora Jane Stefenn (REDE) protocolou requerimento em regime de urgência para que a Secretaria da Saúde seja oficiada e passe a cumprir a lei oferecendo em suas unidades, ou pelo menos nas farmácias, recipientes adequados e de fácil visualização e acesso para que a população possa dar um destino correto para o lixo químico prejudicial ao meio ambiente quando descartado no lixo comum. Jane quer também que a Prefeitura fiscalize com mais vigor as farmácias comerciais obrigando-as a cumprir a lei municipal 2688, sancionada em 2014.

“O município precisa ser o primeiro a cumprir as leis que sanciona. Aqui na região, Camboriú é pioneira sendo uma das únicas cidades a ter essa determinação legal. A cidade deve se adequar imediatamente porque esse é um problema de meio ambiente e saúde”, explicou Jane.

Segundo a lei municipal, além de oferecer o recipiente, as farmácias públicas e privadas da cidade devem colocar os recipientes em locais de fácil acesso, mantê-los limpos e organizados e criar campanhas e materiais gráficos que incentivem as pessoas ao descarte correto de seus medicamentos vencidos. Hoje, no Brasil, não há uma legislação específica sobre o assunto, mas além de ser uma orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o descarte nas farmácias poderia seguir a determinação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos que, em seu artigo 33, determina que fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes implementem a logística reversa, ou seja, deem conta dos produtos após o uso ou prazo de validade. Essa é uma luta do Conselho Federal de Farmácia em todo o Brasil. Enquanto isso, diversas cidades e estados tem legislado sobre o assunto.

Cidades

Itajaí reforça ações de combate e prevenção a Covid-19 nas escolas

Manutenção das atividades é considerada essencial pelo Governo do Estado

Cidades

Aulas presenciais retomam na segunda-feira (08) em Navegantes

Conforme divulgado anteriormente, as aulas serão no formato híbrido, mesclando atividades presenciais e remotas

Cidades

Carro com três ocupantes capota na BR-470

As vítimas foram socorridas já fora do veículo

Cidades

Vídeo: Boiada é flagrada no meio da rua em Joinville

Um vídeo inusitado vem chamando a atenção nas redes sociais de catarinenses. Na noite desta sexta-feira (05), uma moradora da Zona Leste de Joinville se espantou quando viu uma boiada curtindo a noite na rua […]

Cidades

Família carente de Itajaí pede ajuda para manter as despesas em casa

No momento, a conta de luz está atrasada e a família está precisando de produtos de higiene, alimentos, leite, roupas para as crianças e fraldas tamanho GG e P. São três meninos de 2,4 e 6 anos

Mais notícias

Segurança

Caminhoneiro bate em motocicleta e dirige com moto grudada no para-choque e motociclista agarrado na porta

O caminhão teria passado por cima da mulher e a moto ficou presa na frente da carreta

Brasil

Piloto é encontrado vivo quase 40 dias depois de desaparecer com avião

O monomotor teria decolado no dia 28 de janeiro da cidade de Alenquer, no Oeste do Pará, com destino a um garimpo