keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

TJ determina que homem preso por engano no oeste de SC receba R$ 5 mil de indenização

A 3ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina manteve o valor da indenização, estipulada em 1º grau, para um homem preso ilegalmente. Ele estava no hospital, acompanhando uma tia, quando […]

X
Imagem Ilustrativa

A 3ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina manteve o valor da indenização, estipulada em 1º grau, para um homem preso ilegalmente. Ele estava no hospital, acompanhando uma tia, quando foi preso pela polícia e levado para um Presídio, onde passou um dia inteiro. O problema é que os agentes o confundiram com o verdadeiro criminoso, seu homônimo. Ou seja, foi preso em razão de um delito que nunca cometeu. Ele, então, ingressou com ação na justiça contra o Estado de Santa Catarina. O caso aconteceu no Oeste do Estado.

O Ente Público apresentou contestação e alegou que não houve qualquer ato de má-fé e, por isso, não caberia indenização.  Mas este argumento não convenceu o juiz, que condenou o Estado a pagar R$ 5 mil de indenização pelos danos morais. Escreveu o magistrado na sentença, com data de 9 agosto de 2019: “restando comprovado que a prisão deu-se em desacordo com a realidade fática, dado que o autor não era a pessoa sobre a qual pendia ordem de prisão, o dano é patente”

Inconformado, o Estado opôs embargos declaratórios, que foram rejeitados. Irresignado, o autor interpôs recurso de apelação com pleito de majoração do valor indenizatório. O desembargador Jaime Ramos, relator da apelação, lembrou que a responsabilidade civil da Administração Pública, decorrente de danos causados por seus agentes, salvo na hipótese de omissão, é objetiva, quer seja em face dos arts. 43 e 932, inciso III, do Código Civil de 2002, ou diante do que prescreve o art. 37, § 6º, da Constituição Federal: “As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa”.

O Estado se eximiria do dever de indenizar, segundo o relator, se comprovasse a existência de alguma excludente, como, por exemplo, culpa exclusiva da vítima ou de terceiro ou caso fortuito ou força maior, o que não ocorre nos autos. Para ele, ¿restou incontroverso que os danos experimentados pelo apelante decorreram de ato dos agentes do Estado, que, indevidamente, realizaram a prisão do recorrente, ocasionando-lhe, desta forma, danos morais¿.

Mas o relator não aceitou o pleito da vítima, que pretendia aumentar o valor da indenização. Segundo ele, ¿o valor arbitrado pelo Juízo se afigura adequado, razoável (provido de cautela, prudência, moderação e bom senso) e proporcional (meio termo entre os vícios de excesso e de falta) para reparar a dor e o sofrimento infligidos ao demandante¿. A sessão foi realizada no dia 2 de março e a decisão foi unânime. 

Fonte: Visor Notícias

Geral

Mulher encontra cobra venenosa dentro de saco de alface

Produto foi comprado em uma rede de supermercado

Geral

Setor de serviços em Santa Catarina tem alta de 9,9% em fevereiro

O volume de serviços em SC no acumulado de janeiro e fevereiro teve crescimento de 7,5%, o maior entre as 27 Unidades da Federação.

Geral

Caixa sorteia R$ 30 milhões da Dupla-Sena da Páscoa neste sábado

Com apenas uma aposta da Dupla-Sena, o apostador concorre a dois sorteios no mesmo concurso. Ganha quem acertar 3, 4, 5 ou 6 números, tanto no primeiro quanto no segundo sorteio.

Geral

Leão-marinho resgatado em SC tinha bala de arma de fogo alojada na cabeça

Ainda na quarta-feira, o pinípede foi hidratado e medicado. Mesmo com todos os esforços da equipe, o leão-marinho morreu no início da manhã desta quinta.

Geral

Ministério Público dá prazo para empresas potencialmente poluidoras apresentarem licenças ambientais em Porto Belo

A multa diária de R$ 5 mil deverá ser aplicada caso deem continuidade às atividades poluidoras sem as devidas licenças após o prazo concedido para regularização

Mais notícias

Segurança

Polícia encontra mais de R$4 milhões na casa de homem morto depois de perseguição em Porto Belo

O motorista, que foi baleado na tarde desta sexta-feira (16), após uma perseguição pela cidade de Porto Belo, não resistiu aos ferimentos e morreu antes de dar entrada no hospital

Turismo

Itapema 59 anos: Visor Notícias produz série de reportagens sobre o município

Seja você morador ou turista, tem cantinhos especiais e históricos que você vai amar descobrir