keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Preparem o bolso: Ambev anuncia aumento no preço da cerveja

Dona das cervejas Brahma , Skol e Stella Artois, vai aumentar preço a partir de outubro

X

O aumento no preço dos insumos, a escassez de embalagens e o custo da energia devem deixar a cerveja mais cara neste ano, segundo estimativas de produtores e de entidades do setor. O impulso da moeda norte-americana afeta diretamente o custo dos commodities, como o milho, a cevada, as leveduras e o alumínio, que são base da cadeia de produção da bebida.

Embora a inflação da bebida em 2020 tenha sido de 1,94%, segundo o IBGE, o mercado deve reposicionar os preços neste primeiro semestre, e o aumento ao consumidor final deve ficar entre 10% e 15%, seguindo a tendência de aumento dos alimentos.

“A constante alta do dólar gerou impacto no custo dos commodities, sem contar o custo de energia elétrica, que também aumentou. Esses fatores têm influência direta no preço das bebidas. Se foi possível segurar até o momento, certamente o impacto vai desaguar em 2021″, diz o diretor da Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM) Carlo Enrico Bressiani.

E ele complementa: “O Brasil é um país fechado, cheio de burocracia e que enfrenta problemas com a variação cambial. Quem sofre mais são as pequenas empresas, porque a maioria não tem contratos de compra e fornecimentos mais estáveis e adquire produtos conforme a demanda. Mas até os grandes terão de aumentar o preço para o consumidor final”.

O produtor e sommelier de cervejas e presidente da Federação Brasileira das Cervejas Artesanais, Marco Falcone, explica que a maioria dos produtos utilizados na fabricação das cervejas é importada e negociada na moeda norte-americana, sofrendo diretamente com variação cambial. O dólar americano era cotado a R$ 4,02 em janeiro de 2020 e fechou o ano passado custando R$ 5,45.

“Nós temos um viés inflacionário muito relevante, porque os produtos são indexados em dólar, e a cerveja vai sofrer com aumento dos insumos importados. Eu falo de 13% de aumento médio em todo o setor. O que não é pouca coisa”, observa.

Falcone endossa o que diz o diretor da ESCM sobre o repasse dos valores. Para ele, os produtores estão no limite e, por questão de sobrevivência das pequenas cervejarias, os aumentos não poderão ser mais adiados.

“Vamos tentar, num primeiro momento, apenas resgatar os preços normais, para não causar uma retração muito brusca no consumo. O nosso propósito é tentar minimizar o impacto, mas eu acredito que o setor não tem mais fôlego pra não promover aumentos nos próximos meses”, adverte.

Fonte: Estado de Minas

Geral

Marina Itajaí é finalista de prêmio náutico nacional

A Marina Itajaí, no litoral norte de Santa Catarina, está na disputa para ser eleita a melhor marina do Brasil pelo Prêmio Bombarco Baleia de Ouro

Geral

Nos próximos dias o sol aparece mais em SC

Confira a previsão do tempo da Epagri/Ciram para os próximos dias em Santa Catarina

Geral

Jovem de 24 anos é investigada por usar foto de Adolf Hitler em bolo de aniversário

A pena para o crime de apologia ao nazismo é de reclusão de 2 a 5 anos

Geral

Presidente da Epagri entra na lista da Forbes das 100 mulheres poderosas do agro

Esta foi a primeira vez que a Forbes Brasil divulgou a lista “100 Mulheres Poderosas do Agro”

Mais notícias

Cidades

Vereador Xepa solicita instalação de “bituqueiras” em praias e espaços públicos de Itapema

A indicação sugere que as bituqueiras sejam feitas de Aço Inox, para evitar a degradação por conta do tempo e da maresia

Segurança

Policia recupera carga de estruturas metálicas avaliada em cerca de R$ 300 mil

Policiais civis recuperaram uma carga de estruturas metálicas avaliada em cerca de R$ 300 mil furtada em Xanxerê, no Oeste. A ação é da Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos e Furtos de Chapecó […]