keyboard_backspace

Página Inicial

Animal

Animal misterioso aparece na areia da Praia Central de BC e assusta turistas

Morador disse que chegou a afastar a areia do animal que se mexeu ainda mais freneticamente

X
Foto: Reprodução/ND

A Praia Central de Balneário Camboriú tem dado o que falar. Depois de tubarões, pinguins, baleias, leão-marinho uma espécie de um animal invertebrado tem assustado moradores e turistas. Uma imagem que mostra uma espécie de ‘lagarta estranha’, foi encontrada enterrada na areia e se mexia bastante. Conforme divulgado pelo ND+, o leitor que preferiu não se identificar, disse que chegou a afastar a areia do animal que se mexeu ainda mais freneticamente. Ele procurou a redação para tentar identificar o animal, afinal, que bicho é esse?

Adriano Marenzi, professor de oceanografia da Univali (Universidade do Vale do Itajaí), identificou o animal estranho como um sipunculo, que pertence a um grupo colocado junto com os Anelídeos (minhocas e afins). Seu nome é do latim sipúnculos (pequeno sifão) que é este “biquinho” do bicho.

Marenzi explica que o animal é de pequeno porte e raramente ultrapassa 10cm. “O corpo é basicamente em um tronco muscular, recoberto por uma casca, daí são conhecidos como verme amendoim, eu particularmente não vejo amendoim algum”, brinca o professor.

Ele continua: “este bico é uma tromba (introverte retrátil) com a boca na sua extremidade, qual possui tentáculos e ganchos para raspagem de alimentos e fixação do animal ao substrato e comem de tudo, animais menores, algas e matéria morta”, destaca Marenzi.

Ainda de acordo com o biólogo, o número total de sipunculos descritos são aproximadamente 300 espécies, sendo que para o litoral brasileiro são 40 espécies e nas regiões Sul e Sudeste do Brasil ocorrem 27 espécies, além de espécies novas que ainda não foram formalmente descritas para ciência.

Os sipunculos habitam principalmente em águas salgadas, rasas e regiões entre-marés, enterrados em sedimentos como areia e lama e alguns podem perfurar substratos mais duros, como rochas e corais, ou até viver em estruturas de origem antrópica como cais e cascos ou até dentro de osso.

“Pelo hábito de ficar dentro do sedimento infauna, assim como os corruptos, os crustáceos que retiram da areia como isca. Esta espécie não tem olhos ou outros órgãos de percepção evidente”, explica Marenzi. Os sipuculos podem regenerar partes que foram amputadas. Têm sexos separados, mas não há como distinguir os machos das fêmeas e se reproduzem liberando os espermatozoides e ovócitos na água do mar, onde são fecundados.

Fato interessante

Algumas espécies de sipunculo são utilizados na culinária, como prato requintado e estimulante, o que para variar levou a sobre exploração no oriente. Para compensar e lucrar há maricultores dedicados a está cultivo de organismo. “Quem sabe esta reportagem desperte e dê início a uma nova atividade gastronômica e produtiva em Santa Catarina”, sugeriu o professor Adriano Marenzi.

Fonte: Visor Notícias

Animal

Vídeo: Cobra com sede acaba presa em lata de cerveja

O animal, de cerca de um metro e meio, foi flagrado pelos moradores, depois que ouviram um barulho estranho na cozinha.

Animal

Gata nasce com quatro orelhas e viraliza nas redes sociais

Por conta da condição, fotos da gatinha tem viralizado na internet

Animal

Foto surpreendente mostra cobra fugindo de incêndio em SC

Bombeiros usaram bombas costais, batedores e um soprador para combater o fogo e fazer o rescaldo da área

Animal

Casal de SC encontra aranha-flor em casa e beleza do animal surpreende

Homem estava lavando o canil quando encontrou o animal

Animal

Tubarão encalha na orla da Meia Praia em Itapema

Conforme relatos, as equipes precisaram amarrar o animal, por questões de segurança e depois devolveram ele para o mar

Mais notícias

Segurança

Quem era a jovem Amanda Albach, econtrada morta em praia de Santa Catarina

Segundo o advogado da família de Amanda, Michael Pinheiro, ela havia feito um acordo e deixado o emprego de operadora de telemarketing na região de Curitiba há cerca de 90 dias

Segurança

Bombeiros encontram corpo do jovem que salvou crianças e morreu afogado no Norte de SC

O jovem havia desaparecido nas águas, após resgatar duas crianças de 9 e 12 anos, que se afogavam no local. O Corpo foi recolhido pelo IGP (Instituto Geral de Perícias).

Atendente Virtual Visor

Estou disponível, posso ajudar?

openPopup