keyboard_backspace

Página Inicial

Cidades

Implantação do sistema de esgoto resultará na despoluição gradativa do Rio Camboriú

Segundo dados do Instituto Trata Brasil, se o serviço de saneamento básico no país fosse universalizado, o país teria um ganho de R$ 7 bilhões por ano com o turismo

X
Divulgação

Investimentos em saneamento básico estimulam o turismo, despoluem os mananciais hídricos e impactam diretamente na cadeia econômica local. Uma das justificativas apontadas pelos especialistas para explicar este estímulo é a despoluição de rios, lagos e mares. Segundo dados do Instituto Trata Brasil, se o serviço de saneamento básico no país fosse universalizado, o país teria um ganho de R$ 7 bilhões por ano com o turismo. Além disso, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), cada R$ 1 investido em saneamento gera a economia de R$ 4 na saúde.

Em Camboriú, a implantação do sistema de esgotamento sanitário é considerada a principal solução para a despoluição do rio que abastece Camboriú e Balneário Camboriú. Enquanto a cidade vizinha caminha para a universalização do sistema de captação e tratamento de esgoto, Camboriú ainda não dispõe do serviço. “A implantação imediata resultaria na melhora gradativa e continuada dos índices de despoluição do rio Camboriú, trazendo inúmeros benefícios ao meio ambiente, à qualidade de vida e ao potencial econômico da cidade”, explica o diretor executivo da Águas de Camboriú, Gabriel Buim.

Embora o contrato de concessão de saneamento vigente preveja que o sistema de coleta e tratamento de esgoto seja implantado pela prefeitura e operado pela Águas de Camboriú, a concessionária se colocou à disposição para investir também na implantação da obra. “Diante do alto valor necessário para a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), mais de 300 quilômetros de rede e dezenas de estações elevatórias, e atenta à histórica demanda em ter uma cidade saneada, oferecemos nossos esforços e capacidade de investimento para que Camboriú avance nesta questão”, explica a presidente da Águas de Camboriú, Reginalva Mureb.

Uma audiência pública promovida na sede do Executivo Municipal aprovou, em outubro de 2019, a proposição da concessionária em assumir também a implantação do sistema de esgoto. Para que isso ocorra, no entanto, é necessário que o município repactue o contrato vigente junto à agência reguladora.

O projeto para a implantação do sistema está pronto e já foi apresentado ao Executivo Municipal e ao Comitê de Bacia do Rio Camboriú. A obra demanda mais de R$ 100 milhões, entre estação de tratamento, elevatórias e rede de captação. Se repactuado o contrato, a Águas de Camboriú investirá recursos próprios da concessionária, com a possibilidade de começar a aplicar imediatamente na implantação do sistema.

Fonte: Visor Notícias

Cidades

Audiência Pública discute LDO e PPA em Porto Belo

A Lei de Diretrizes Orçamentárias, - LDO, estabelece as metas e prioridades da Administração Pública para o exercício financeiro seguinte, orientando a elaboração e execução do Orçamento

Cidades

Campanha pede que pessoas que forem se vacinar doem alimentos em Itapema

Os produtos arrecadados serão encaminhados semanalmente para a Secretaria de Assistência Social

Cidades

Morre o último fundador do município de Navegantes aos 84 anos

Há 58 anos, Navegantes foi desmembrada de Itajaí, após o trabalho de uma comissão composta por onze homens, que lutaram para que a cidade fosse emancipada

Cidades

Itapema disponibiliza uniformes e EPIs para merendeiras e auxiliares de apoio nas escolas

Os kits contém camisas para as auxiliares de apoio e calças, toucas, aventais para as merendeiras

Mais notícias

Economia

Consumo de gás natural em Santa Catarina cresceu 8,5% em março

Entre os setores que utilizam gás natural, o destaque no consumo foi a indústria

Cidades

Audiência Pública discute LDO e PPA em Porto Belo

A Lei de Diretrizes Orçamentárias, - LDO, estabelece as metas e prioridades da Administração Pública para o exercício financeiro seguinte, orientando a elaboração e execução do Orçamento