keyboard_backspace

Página Inicial

Política

Eleição para a liderança da Câmara dos Deputados movimenta a política brasileira

Leia na Coluna Esplanada direto de Brasília desta sexta-feira (11)

X
Divulgação

Fiel da balança 

Fiel da balança na sucessão da presidência da Câmara dos Deputados, a oposição, que reúne 132 votos, já sinaliza que não terá unidade na disputa. Antes resistente à proximidade de Artur Lira (PP-AL) com o presidente Jair Bolsonaro, a bancada do PSB rachou, mas, por maioria, selou o apoio ao candidato aliado do Palácio do Planalto. Dos 31 deputados, 18 se posicionaram a favor do deputado do PP. Lideranças do PT conversaram bastante com Lira nos últimos dias. Ouviram as propostas, mas esperam a reunião da Executiva do partido marcada para hoje para bater o martelo sobre qual candidatura irá embarcar.

Opções 

Apesar de a ala radical da bancada petista refutar a “candidatura do Planalto” de Artur Lira, dirigentes veteranos do partido afirmam que todas as opções são consideradas. O partido tem a maior bancada na Câmara, com 54 deputados.

Bloco

O Psol, com 10 deputados, busca um nome para a candidatura própria; a bancada do PDT, com 28 deputados e do PCdoB (9 parlamentares) tendem a aderir à candidatura apoiada pelo bloco de Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Apadrinhado

A queda de Marcelo Álvaro coloca em risco o cargo do secretário da Cultura de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, indicado pelo agora ex-ministro do Turismo. Leônidas vinha atuando como conselheiro de Marcelo na área de Cultura.

Confraria 

Leônidas também é muito próximo de Roger Alves Vieirano, chefe da Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração do Ministério do Turismo. Além de Marcelo Álvaro, ambos são amigos do secretário-executivo da pasta, Daniel Neponucemo.

Pivô

Pivô da demissão de Marcelo Álvaro, o general Luiz Eduardo Ramos, chefe da secretaria de articulação política, sai fortalecido para permanecer no cargo em eventual reforma ministerial para acomodar o Centrão. Líderes chegaram a sugerir a Bolsonaro nomes com perfil político para ocupar a articulação, mas o movimento cessou após o desfecho do embate de Ramos com o ex-Turismo.

Pré-pandemia 

A movimentação no Congresso Nacional nesta semana lembra dias pré-pandemia. É  grande a aglomeração de deputados – para o lançamento de candidaturas à presidência da Casa – e de centenas de políticos que participam da XIX Marcha dos Vereadores e Vereadoras. Apesar das recomendações de distanciamento, o evento da União dos Vereadores do Brasil (UVB) foi mantido e se encerra hoje em Brasília.

Recuo

Depois de mais de dois meses, o Ministério da Educação homologou a resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE) para que escolas públicas e particulares ofereçam ensino remoto enquanto durar a pandemia. O chefe da pasta, Milton Ribeiro, cogitou vetar a resolução, mas recuou após a pressão dos secretários de educação.

Kandir

Em meio à disputa pela sucessão das presidências da Câmara e do Senado, o Executivo enviou ao Congresso mensagem que prevê a liberação de mais R$ 4 bilhões para os estados para compensar perdas de arrecadação provocadas pela Lei Kandir, decorrentes da isenção da cobrança de ICMS de produtos destinados à exportação.

Precatórios

Na mensagem (PLN 41/20), a equipe econômica informa que os recursos para estados e municípios sairão do remanejamento de verbas anteriormente destinadas a benefícios previdenciários, precatórios e compensações no Regime Geral de Previdência Social.

Dívidas  

Apenas a Justiça pode bloquear bens de devedores do governo. É o que determina decisão do STF. Por maioria, a Corte entendeu que não pode ocorrer o bloqueio de bens do devedor de forma automática e por decisão administrativa, sem decisão judicial. Para procuradores da Fazenda, o bloqueio dava eficiência no recebimento das dívidas.

Pesquisa

Pesquisa do Instituto DataSenado, feita entre o fim de novembro e o início de dezembro, revela que 40% dos cidadãos que deixaram de votar nas eleições municipais alegaram medo do novo coronavírus. 

Fonte: Visor Notícias

Política

Esplanada: Os bastidores no Congresso após protestos contra Bolsonaro

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Campanha própria

Os gestores municipais também cobram, há dias, do chefe da pasta, Eduardo Pazuello, um cronograma de entrega das vacinas com estimativa mensal até o fim de 2021.

Política

Carlos Villagrán, o Quico do Chaves, se candidata a governador no México

Villagrán faz parte do partido Querétaro Independiente, criado em 2017

Política

Trump é banido do Facebook e Instagram um dia após invasão no Congresso dos EUA

A exclusão pode ser prolongada indefinidamente, segundo Mark Zuckerberg, diretor-executivo das plataformas

Mais notícias