keyboard_backspace

Página Inicial

Política

Deputado Coronel Mocellin defende menos direitos aos presos

Parlamentar enviou moção à Câmara dos Deputados sugerindo mudanças no Código Penal

X
Divulgação

O deputado Coronel Mocellin está enviando moção à Câmara dos Deputados solicitando o fim das saídas temporárias e maior rigidez para progressão do regime de presos. Ele argumenta que as saídas temporárias e rápida progressão de regime colocam de novo no meio da sociedade criminosos que ainda não cumpriram a pena e nem estão ressocializados.

A moção foi enviada ao deputado Carlos Jordy (PSL-RJ), relator da subcomissão da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), da Câmara dos Deputados, que está analisando mudanças na legislação penal e processual penal.

“O serial killer Lázaro, por exemplo, foi solto em uma dessas saidinhas, que são nocivas para a sociedade porque não tem como monitorar este preso. Eles saem e a maioria volta a cometer crimes. E sobre a progressão de regime é fundamental que juízes sejam mais rigorosos pelo bem da população, que não quer mais vagabundos soltos cometendo mais crimes”, alertou o deputado.

A polêmica das audiências de custódia

Outro tema que o deputado Coronel Mocellin pretende discutir é a questão das audiências de custódia, criadas por meio da resolução do Conselho Nacional de Justiça e que tem o objetivo de conduzir o preso em flagrante, de forma ágil, à presença de um juiz, do Ministério Público e do advogado. Neste caso, a autoridade avalia a necessidade e a legalidade da prisão, bem como a integridade do preso.

Contudo, segundo o deputado, nessas audiências a palavra do criminoso tem sido mais ouvida do que a palavra do policial militar que faz a prisão. “E o pior. A cada dez prisões o PM responde a um processo porque o Ministério Público entende que ouve abusos, o que é um absurdo”, criticou o deputado.

“Não se pode aceitar que a PM prenda um criminoso por mais de 80 vezes sem maiores consequências. Defendo que o criminoso tenha algum tipo de punição. Se não for preso que preste trabalhos comunitários, por exemplo”, alertou ele, que deve promover uma audiência pública sobre o tema junto a Comissão de Segurança Pública, que preside na Assembleia Legislativa.

Fonte: Visor Notícias

Política

Deputada Paulinha defende estudo da história das mulheres do campo e da cidade em Santa Catarina

Para a deputada Paulinha, estudar a história das Mulheres do Campo e da Cidade traz luz para o protagonismo feminino em Santa Catarina

Política

Câmara de Itajaí discute morte de animais marinhos em redes de pesca ilegais

Resultado do debate será apresentado no relatório final da audiência pública

Política

Ex-governador Raimundo Colombo recebe homenagem de vereadores de Navegantes

Câmara municipal aprovou por unanimidade moção de congratulações ao ex-governador

Mais notícias

Famosos

Influencer Virgínia Fonseca anuncia pausa nas redes sociais após morte do pai

Influenciadora contou que está bastante abalada pela perda de Mário Serrão, de 72 anos

Tempo

Chuva de granizo é registrada na Serra em Santa Catarina

Neste domingo (19), moradores de Lages, na Serra Catarinense, registraram chuva de granizo. O fato ocorreu no bairro Sagrado Coração Jesus. A moradora Ieda Barroso, relatou que a chuva intensa foi de cerca de 15 […]