keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Balneário Camboriú recebe manifestação em apoio de Mari Ferrer

Neste final de semana, um protesto contra o julgamento que inocentou André de Camargo Aranha, no caso do suposto abuso sexual de Mariana Ferrer, deve acontecer na cidade de Balneário Camboriú. No domingo (08), a […]

X
Divulgação

Neste final de semana, um protesto contra o julgamento que inocentou André de Camargo Aranha, no caso do suposto abuso sexual de Mariana Ferrer, deve acontecer na cidade de Balneário Camboriú.

No domingo (08), a concentração está marcada para às 13h, na rua 1.500. Os manifestantes devem marchar até a Praça Tamandaré. Um pedido é para que os participantes vistam preto, levem cartazes e respeitem as medidas de prevenção contra a Covid-19.

A manifestação é organizada por um grupo no whatsapp. A jovem Mari Ferrer diz ter sido dopada e estuprada dentro do local de trabalho, em um beach club de Florianópolis, no ano de 2018.

Polêmica

Dois meses após o fim do julgamento do empresário André de Camargo Aranha, acusado de estuprar a jovem promoter catarinense Mariana Ferrer, de 23 anos, durante uma festa em 2018, o assunto voltou a revoltar a internet devido a uma série de imagens inéditas divulgadas pelo The Intercept nesta terça-feira (03).

Segundo a publicação, o acusado foi considerado inocente pois, para o promotor responsável pelo caso, “não havia como o empresário saber, durante o ato sexual, que a jovem não estava em condições de consentir a relação, não existindo portanto ‘intenção’ de estuprar.”

O juiz Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminal de Florianópolis, aceitou o argumento de que André de Camargo Aranha, filho do advogado Luiz de Camargo Aranha Neto, cometeu “estupro culposo”, um “crime” não previsto por lei, e foi absolvido.

A repercussão do caso chocou mais uma vez e causou revolta nas redes sociais e levando a hashtag #JustiçaPorMariFerrer aos trend topics do Twitter.

MP nega estupro culposo e alega falta de provas no caso Mari Ferrer

A 23ª Promotoria de Justiça da Capital, que atuou no caso, reafirma que combate de forma rigorosa a prática de atos de violência ou abuso sexual, tanto é que ofereceu denúncia criminal em busca da formação de elementos de prova em prol da verdade. Todavia, no caso concreto, após a produção de inúmeras provas, não foi possível a comprovação da prática de crime por parte do acusado.

Cabe ao Ministério Público, na condição de guardião dos direitos e deveres constitucionais, requerer o encaminhamento tecnicamente adequado para aquilo que consta no processo, independentemente da condição de autor ou vítima. Neste caso, a prova dos autos não demonstrou relação sexual sem que uma das partes tivesse o necessário discernimento dos fatos ou capacidade de oferecer resistência, ou, ainda, que a outra parte tivesse conhecimento dessa situação, pressupostos para a configuração de crime.

Portanto, a manifestação pela absolvição do acusado por parte do Promotor de Justiça não foi fundamentada na tese de “estupro culposo”, até porque tal tipo penal inexiste no ordenamento jurídico brasileiro. O réu acabou sendo absolvido na Justiça de primeiro grau por falta de provas de estupro de vulnerável.

Fonte: Visor Notícias

Geral

Unimed Litoral está entre as melhores empresas para trabalhar no Brasil

A Unimed Litoral está entre os 100 Lugares Incríveis para Trabalhar no Brasil, premiação concedida pelo Universo Online e Fundação Instituto de Administração (FIA) com base na opinião dos colaboradores de centenas de empresas avaliadas. […]

Geral

Morador de rua morre em padaria que segue aberta até corpo ser recolhido

Corpo do morador de rua ficou no local por quase três horas

Geral

Vídeo mostra mulher abandonando filha recém-nascida em lixeira de Balneário Camboriú

Um vídeo mostra a mulher caminhando com uma sacola nas mãos de forma tranquila

Geral

Mãe de recém-nascida encontrada em lata de lixo é localizada e diz estar arrependida

Um vídeo mostra a mulher caminhando com uma sacola nas mãos de forma tranquila

Geral

Bombinhas divulga novos horários de entrada de ônibus e caminhões

A Prefeitura de Bombinhas publicou o O Decreto Municipal nº 2.678, que altera a regulamentação da utilização de vias públicas para entrada e estacionamento de ônibus e caminhões de carga e descarga

Mais notícias