keyboard_backspace

Página Inicial

Mundo

Ucrânia distribui armas para população e pede que moradores resistam com coquetéis molotov

Autoridades ucranianas orientaram a população a preparar coquetéis molotov para defender a capital

O Ministério da Defesa da Ucrânia disse hoje (25), em comunicado, que as Forças Armadas estão travando duras batalhas para repelir os ataques do Exército russo em todo o território e voltou a pedir o apoio da população. O pedido partiu do próprio presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, que afirmou que o fornecimento de armas a todos os cidadãos que desejam defender a soberania da Ucrânia já começou.

“Nossos militares precisam desse apoio. O principal é que precisam do apoio de nossa população. Temos um exército de pessoas poderosas. Nossa população também é um exército poderoso. Então, apoiem os militares”, disse Zelensky. O dia amanheceu em Kiev com explosões e sirenes de alerta. Cerca de 3 milhões de pessoas vivem na capital ucraniana. Estima-se que, desde o início da invasão russa, mais de 100 mil pessoas fugiram de suas casas e dezenas de milhares deixaram a Ucrânia, segundo informações da Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

O Ministério russo da Defesa confirmou que o Exército do país já está em Kiev, a capital ucraniana, e que áreas residenciais não serão atingidas. Zelensky pediu à imprensa que divulgue mais intensamente o sucesso das Forças Armadas ucranianas e as perdas do inimigo. “O inimigo sofreu pesadas perdas., que serão ainda maiores. A Ucrânia está sob ataque pelo ar por Norte, Leste e Sul”, disse. 

“O futuro do povo ucraniano depende de cada cidadão. Todo mundo que tem experiência de combate e pode se juntar à defesa da Ucrânia deve se dirigir aos centros apropriados. O Ministério da Administração Interna envolverá veteranos na defesa do Estado”, acrescentou. O presidente também pediu aos cidadãos que se unam à doação de sangue para os feridos. Zelensky disse que 137 pessoas morreram e 316 ficaram feridas no primeiro dia de operações, incluindo dezenas de civis.

Autoridades ucranianas orientaram a população a preparar coquetéis molotov para defender a capital e a se abrigarem em estações de metrô que foram transformadas em abrigos. O chanceler russo, Sergey Lavrov, afirmou que o país não negociará enquanto a Ucrânia resistir. O objetivo de Moscou é, segundo Lavrov, desmilitarizar a Ucrânia. 

Enquanto os Estados Unidos e os governos ocidentais impõem sanções a Moscou, Zelensky afirmou que se sente sozinho. “As forças mais poderosas do mundo assistem de longe. As sanções de ontem persuadiram a Rússia? Vemos em nossos céus e sentimos no chão que elas não são suficientes”, afirmou em vídeo divulgado no Telegram. 

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Mundo

Homem fica com as pernas presas para fora de elevador

Segundo informações divulgadas pelo Malaysia Gazette, o acidente está sendo investigado

Mundo

Suprema Corte dos EUA aumenta acesso a porte de armas e derruba lei estadual

Direito estabelecido pela segunda emenda poderá reverberar nos estados

Mundo

Idoso solitário pede pizza para que entregador o ajude a se deitar

Ao longo do vídeo, o idoso parece dar as instruções ao entregador sobre como ajudá-lo o máximo possível até chegar à cama

Mundo

Mãe descobre que filho praticava bullying com colega e obriga jovem a se desculpa

Samm Jane ficou “furiosa” depois que professores ligaram para ela, dizendo que seu filho estava enviando mensagens cruéis para uma colega

Mundo

Em ranking dos dez melhores parques do mundo, três são brasileiros

O levantamento Travelers' Choice 2022 – Best of the Best mostrou que o Beto Carrero World está no terceiro lugar da lista

Mais notícias

Segurança

Polícia Civil investiga morte de bebê de cinco meses em Criciúma

Óbito ocorreu dentro de casa na noite de sexta-feira (24)

Geral

Familiares se despedem do jornalista Dom Phillips em Niterói

Família disse que seguirá atenta aos desdobramentos das investigações