keyboard_backspace

Página Inicial

Turismo

TCE/SC suspende cobrança do pedágio ambiental de Governador Celso Ramos

O texto da decisão mostra que houve prejuízo de R$ 1,07 milhão aos cofres públicos de Governador Celso Ramos, o que demonstra a ausência de vantagem para a administração pública.

Em decisão singular divulgada nesta sexta-feira (14/8), o conselheiro do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC) José Nei Ascari determinou a suspensão cautelar da cobrança da Taxa de Preservação Ambiental (TPA) do município de Governador Celso Ramos. Em seu despacho, Ascari relatou a inviabilidade operacional da cobrança, já que o custo contratual é superior à arrecadação do chamado “pedágio para turista”.

O conselheiro também revelou a ausência de pesquisa para indicar o preço cobrado e a falta de um orçamento detalhado em planilhas que demonstrem a composição dos custos unitários e do custo máximo dos serviços contratados. Há ainda, por parte da empresa prestadora do serviço, precificação acima dos valores de mercado, indicando possível sobrepreço.

A decisão dá 30 dias de prazo para o secretário de Administração de Governador Celso Ramos e subscritor do edital, Paulo Henrique Silveira de Souza, apresentar justificativas sobre as irregularidades encontradas, adotar medidas de correção necessárias para o cumprimento da lei ou anular a concorrência pública.

“Existe uma fundada ameaça de grave lesão ao erário, já que a arrecadação com o pedágio é inferior ao custo anual do contrato, sem considerar outras despesas diretas e indiretas que envolvem o serviço”, explica Ascari.

O texto da decisão singular mostra que houve prejuízo de R$ 1,07 milhão aos cofres públicos de Governador Celso Ramos, o que demonstra a ausência de vantagem para a administração pública. Também revela que há uma sucessão de falhas no planejamento da TPA do município, em especial a superestimação do potencial de arrecadação e a ausência de um projeto de execução de cobrança que reduzisse o percentual de inadimplentes, uma vez que este era um problema já observado no município de Bombinhas, que também realiza a cobrança de TPA.

Outro problema apresentado diz respeito ao destino dos recursos. No site da prefeitura, o argumento é de que a cobrança da taxa tem como objetivo exclusivo a preservação ambiental. No entanto, os dados mostram que a arrecadação é utilizada para arcar com os próprios custos operacionais do pedágio, havendo assim desvio de finalidade. A Prefeitura de Governador Celso Ramos ainda não se pronunciou sobre a decisão.

Turismo

Temporada de Cruzeiros no Brasil é incerta e escalas são canceladas em Porto Belo

A MSC Cruzeiros ainda aguarda a liberação de três escalas previstas para março de 2021 e a confirmação será anunciada pela Fundação Municipal de Turismo

Turismo

Programa Orla Segura e projeto para certificar mais praias com selo Bandeira Azul é lançado pelo Estado

O governador Carlos Moisés e o presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), Leandro Mané Ferrari, lançaram nesta quinta-feira, 22, na Capitania dos Portos em Florianópolis, o Programa Orla Segura, de […]

Turismo

Costa Verde & Mar ganha mais duas praias Bandeira Azul

Região turística que mais possui Bandeira Azul no Brasil, a Costa Verde & Mar (SC) recebeu duas novas certificações. Para o período 2020/2021, foram incluídas na lista da Fundação para a Educação Ambiental as praias da Conceição, de Bombinhas, e Grande, […]

Turismo

Projeto de retomada do turismo é lançado pelo BC Convention

Aqueles dias de sol com um vai e vem de turistas em Balneário Camboriú ficaram por um longo período na lembrança do setor turístico. A pandemia do coronavírus adiou planos e mudou a cara de […]

Turismo

Alargamento da faixa de areia de Balneário Camboriú custará R$ 66,8 milhões

O consórcio formado pelas empresas DTA, do Brasil, e Jan de Nul, da Bélgica, foi declarado vencedor da licitação para o alargamento da faixa de areia da praia Central de Balneário Camboriú. Os detalhes do […]

Mais notícias