keyboard_backspace

Página Inicial

Brasil

Senado aprova pena de cinco anos para quem maltratar cães e gatos

Projeto seguiu para sansão do presidente Jair Bolsonaro

X
Foto: Pixabay/Divulgação

A lei que prevê reclusão de dois a cinco anos de prisão para quem cometer maus-tratos contra cães e gatos foi aprovada pelo Senado nesta quarta-feira (9). A proposta é do deputado federal Freud Costa (Patriotas) e foi aprovada na Câmara em dezembro de 2019. Conhecida como Lei Sansão, agora seguirá para sansão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O texto altera lei já instituída, que desde 1998 tipifica como crime contra a fauna a prática de ato de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação de animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Pela lei atual, a pena para quem cometer esses crimes é de três meses a um ano de detenção, além de multa.

Se o texto for sancionado, a pena para quem cometer atos contra cães e gatos será ampliada, podendo chegar a até cinco anos de prisão. Crimes cometidos contra outros animais seguem sendo punidos de acordo com a lei anterior. O projeto foi aprovado na esteira das propostas relacionadas à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Nos últimos meses, com as medidas de distanciamento social, veio à tona uma série de relatos de organizações não governamentais de defesa e proteção animal sobre o aumento substancial de denúncias de maus-tratos. “São centenas, centenas de episódios de violência que precisam parar”, disse o líder do PSL, Major Olímpio (SP).

A maior parte dos casos, de acordo com Contarato, é associada a famílias com histórico de violência doméstica. Para o presidente da Associação de Proteção Animal Patas para Você, Alexandre Soares, a proteção da lei é um avanço na defesa dos animais.

“A aprovação da lei é um avanço perante o retrocesso vivido hoje pelos animais. São muitas violências cometidas e, para o ser humano, já existem leis”, disse. Dados da Depa (Delegacia Eletrônica de Proteção Animal) apontam que, somente em São Paulo, as denúncias de violência contra animais aumentaram 81,5% de janeiro a julho de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil tem 28,8 milhões de domicílios com cão e 11,5 milhões com gato. “Ao aumentar as penas, entendemos que a proposição desestimula violações aos direitos dos animais, para que a crueldade contra esses seres vivos deixe de ser considerada banal ou corriqueira”, disse Contarato.

Fonte: Senador

Brasil

Governo estabelece novas regras para eventos sociais em Santa Catarina

São sete portarias publicadas no Diário Oficial do Estado e com efeito imediato a partir de sua publicação

Brasil

Tremor de terra é registrado em arquipélago brasileiro

Fenômeno foi captado por estações da Rede Sismográfica Brasileira

Brasil, Geral

Projeto prevê parcelamento de dívidas trabalhistas em até 60 meses

Texto especifica que cada uma das parcelas deve ter o valor mínimo de um salário mínimo

Brasil

Avião de Bolsonaro arremete por causa da fumaça das queimadas no Pantanal

Segundo a administradora do aeroporto local, havia muita fumaça no momento do pouso e o piloto não tinha 100% da visibilidade da pista

Brasil

Governo cria Rede de Bancos de Alimentos para combater desperdício no Brasil

Comitê gestor da rede funcionará no âmbito do Ministério da Cidadania

Mais notícias