keyboard_backspace

Página Inicial

Economia

SC tem recorde para o 1º trimestre em exportações e importações

Resultado foi o maior registrado para o primeiro trimestre de um ano desde o início da série histórica, em 1997

Divulgação

O comércio exterior catarinense apresentou recorde de valores movimentados no primeiro trimestre deste ano. De acordo com análise do Observatório FIESC, o resultado de US$ 2,5 bilhões em exportações e de US$ 6,7 bilhões em importações foi o maior registrado para o primeiro trimestre de um ano desde o início da série histórica, em 1997. Apesar do valor exportado em março ter registrado um recuo de 2,7% em relação a fevereiro, na série livre de efeitos sazonais, o desempenho do primeiro trimestre é positivo. Os embarques do estado para o exterior nos três primeiros meses do ano cresceram 33,8%, na comparação com o mesmo período de 2021.

“Santa Catarina tem avançado na exportação de produtos com alto valor tecnológico, como é o caso dos motores elétricos. A notícia é positiva porque representa competitividade da nossa indústria em escala global”, avalia o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar.

A exportação de motores elétricos também registrou o maior valor para um mês de março desde 1997, com US$ 63,1 milhões em embarques. O produto representou 5,8% de participação nas exportações do primeiro trimestre e acumula alta de 114,2% na comparação com o mesmo período de 2021. A demanda dos Estados Unidos e da Alemanha vem sendo um grande propulsor para o setor. Somados, os dois países responderam por quase um terço da demanda do produto catarinense no primeiro trimestre do ano.

Carnes de aves e suína lideram no trimestre

No primeiro trimestre, houve uma queda de 7,2% nas exportações de carne suína na comparação com o primeiro trimestre de 2021. Apesar do recuo, somadas as vendas, as carnes de aves e suína representaram 26,9% do total exportado por Santa Catarina e se mantiveram como os principais produtos embarcados no período. No primeiro trimestre do ano, os dois produtos já somam US$ 676,8 milhões em vendas para o exterior, uma elevação de 11,6% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

De acordo com análise do economista do Observatório FIESC, Marcelo de Albuquerque, a abertura do mercado do Canadá para o Brasil deve impulsionar novos negócios para a carne suína catarinense nos próximos meses. O movimento deve compensar parcialmente a queda nas exportações para a China, que vem incrementando a oferta interna após surtos de peste suína dizimarem parte do rebanho.

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Economia

SC tem a segunda indústria mais competitiva do País

No Fórum Reinventa-SC, realizado pela FIESC nesta quarta-feira, dia 25, lideranças industriais afirmaram que a partir das mudanças na geografia da produção mundial, o estado deve ampliar o protagonismo na cadeia de insumos internacionais

Economia

Rastreamento veicular é alternativa contra prejuízos com furtos e roubos

Novas tecnologias baratearam o serviço. Veja no vídeo do Visor Manhã

Economia

Gasolina será vendida a R$4,99 o litro em postos de Santa Catarina esta semana

O Dia do Imposto Zero acontece em todo país nesta época do ano

Economia

Preço do diesel nos postos marca novo recorde; gasolina recua

Preço médio do litro do diesel no país foi de 6,943 nesta semana, renovando o maior valor nominal desde que a ANP passou a fazer levantamento semanal de preços, em 2004

Economia

Agronegócio registra superávit de US$ 43,7 bilhões até abril

Apenas no mês de abril, o agronegócio exportou US$ 14,9 bilhões

Mais notícias

Mundo

Autora de ‘Como matar seu marido’ é condenada por matar seu marido nos Estados Unidos

Nancy Brophy escreveu um ensaio sugestivo sobre o crime anos antes da morte do cônjuge

Mundo

FBI fez alerta sobre tendência de alta de ataques em massa na véspera de massacre no Texas

Veja números de mortes por armas nos EUA, onde há mais de um ataque em massa por dia.