keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Santa Catarina investe R$ 7,2 milhões para incentivar a produção de leite e carne à base de pasto

Os pecuaristas de Santa Catarina contam com um apoio extra para investir na produção de pastagens. O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, investe R$ 7,2 […]

X
Foto: Secom/Divulgação

Os pecuaristas de Santa Catarina contam com um apoio extra para investir na produção de pastagens. O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, investe R$ 7,2 milhões no fornecimento do kit forrageira, formado por mais de 80 produtos para a produção de leite e carne à base de pasto. A expectativa é atender três mil agricultores em todo o estado.

“O kit forrageira já pode ser acessado pelos produtores rurais que querem melhorar a produção de pastagem em Santa Catarina.  Essa é uma linha importante para incentivar a pecuária catarinense e nós estamos otimistas com o resultado este ano”, destaca o secretário de Estado da Agricultura, Altair Silva.

O kit faz parte do Programa Terra-Boa. “Esta é uma grande oportunidade para os produtores rurais de Santa Catarina. É um incentivo do Governo para produzirmos alimentos de alta qualidade para nossos bovinos, com redução do uso da silagem e, consequentemente, redução de custos”, afirma o secretário adjunto Ricardo Miotto.

Como acessar o kit forrageira

O kit custa até R$ 6 mil, que podem ser pagos em três parcelas anuais e sem juros. Caso o pagamento seja feito em parcela única, o agricultor receberá um desconto de 30% sobre o valor da segunda parcela e de 60% sobre o valor da terceira parcela.

São beneficiários do Programa produtores rurais que se enquadram nos critérios do Pronaf. Será permitida também a participação de agricultores com propriedades maiores do que quatro módulos fiscais, desde que promovam o melhoramento de pastagem.

Os agricultores catarinenses interessados devem procurar os escritórios municipais da Epagri.

Hora de semear as pastagens

De acordo com o coordenador do projeto de Pecuária na extensão rural da Epagri, Carlos Mader, o Kit Forrageira vem sendo usado prioritariamente para melhorar ou instalar sistemas de cerca elétrica e fornecer água e sombra para os animais nos piquetes.

No caso das pastagens, o Kit é usado para aquisição de sementes de inverno, especialmente azevéns, trevos e também aveia em algumas regiões. “Estamos no momento de implantar as pastagens de inverno. Se o produtor acessar o Kit Forrageira entre o fim de março e o início de abril e fizer a semeadura nessa época, já terá pastagem disponível para alimentar os animais em maio”, recomenda.

O azevém SCS 316 CR Altovale, lançado pela Epagri em parceria com a Cooperativa Regional Agropecuária Vale do Itajaí (Cravil), é um cultivar de pastagem que também pode ser usado neste momento. Suas principais características são: precocidade ao primeiro pastejo, produtividade, ciclo intermediário e rapidez de rebrote. Além de ser tolerante a estiagens e geadas.

Fonte: Visor Notícias

Geral

Mulher encontra cobra venenosa dentro de saco de alface

Produto foi comprado em uma rede de supermercado

Geral

Setor de serviços em Santa Catarina tem alta de 9,9% em fevereiro

O volume de serviços em SC no acumulado de janeiro e fevereiro teve crescimento de 7,5%, o maior entre as 27 Unidades da Federação.

Geral

Caixa sorteia R$ 30 milhões da Dupla-Sena da Páscoa neste sábado

Com apenas uma aposta da Dupla-Sena, o apostador concorre a dois sorteios no mesmo concurso. Ganha quem acertar 3, 4, 5 ou 6 números, tanto no primeiro quanto no segundo sorteio.

Geral

Leão-marinho resgatado em SC tinha bala de arma de fogo alojada na cabeça

Ainda na quarta-feira, o pinípede foi hidratado e medicado. Mesmo com todos os esforços da equipe, o leão-marinho morreu no início da manhã desta quinta.

Geral

Ministério Público dá prazo para empresas potencialmente poluidoras apresentarem licenças ambientais em Porto Belo

A multa diária de R$ 5 mil deverá ser aplicada caso deem continuidade às atividades poluidoras sem as devidas licenças após o prazo concedido para regularização

Mais notícias