keyboard_backspace

Página Inicial

Cidades

Risco de Covid-19 não justifica prisão domiciliar para condenada por crime organizado

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em matéria sob a relatoria do desembargador Norival Acácio Engel, confirmou decisão do juízo de execução penal que negou pedido de prorrogação de […]

X

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em matéria sob a relatoria do desembargador Norival Acácio Engel, confirmou decisão do juízo de execução penal que negou pedido de prorrogação de prisão domiciliar para uma mulher com duas condenações por crimes de organização criminosa, que perfazem um total de oito anos, seis meses e 28 dias de reclusão, em regime fechado.

O pleito se lastreava nos riscos de contrair coronavírus no sistema prisional, visto tratar-se de apenada de 58 anos, com registro de diversas comorbidades. Também apontou a total inviabilidade de receber a devida assistência médica e tratamento adequado para suas moléstias no estabelecimento prisional. “A eventual possibilidade de contaminação pelo SarsCov-2 não deve servir de subterfúgio para que todos os apenados resgatem a pena em regime domiciliar”, pontuou o relator.

Ele lembrou recomendação do CNJ que determina rigor no combate à criminalidade organizada e no enfrentamento à corrupção e, por isto mesmo, se sobrepõe as orientações de conceder prisão domiciliar para segmentos classificados em grupo de risco. Acrescentou que eventual necessidade de consultas médicas, ou até mesmo de outro tipo de acompanhamento extramuros, pode ser viabilizada mediante a pertinente ‘permissão de saída’, prevista na Lei de Execução Penal.

Segundo os autos, presa em junho deste ano em função de uma condenação de cinco anos e 10 meses de reclusão, em regime semiaberto, a mulher foi colocada em prisão domiciliar por 60 dias. Em função da pandemia da Covid-19 e por sofrer de hipertensão, além de outras doenças, a apenada renovou o benefício por mais 60 dias ao final do primeiro período. Sobreveio, contudo, nova condenação, que acrescentou mais quatro anos e oito meses à sua pena, com a mudança para o regime fechado. Foi neste contexto que seu pleito acabou negado, em decisão unânime do colegiado

Fonte: Visor Notícias

Cidades

Conferência Municipal de Assistência Social acontece em Itapema

A Secretaria de Assistência Social, em parceria com o Conselho Municipal de Assistência Social, realiza na próxima sexta-feira (06/08) a 13ª Conferência Municipal de Assistência Social. O evento acontece na na sede da OAB Itapema, […]

Cidades

Nova loja do Komprão Koch é inaugurada em Balneário Camboriú

A partir desta quinta-feira (05), os moradores e turistas poderão contar uma ampla e confortável loja, com uma oferta variada de produtos a preços competitivos. Esta é a 38ª unidade do Grupo Koch em Santa Catarina

Cidades

Itajaí terá sistema de tratamento de lodo que contribuirá para preservação do Rio Itajaí-Mirim

Semasa autorizou nesta semana o início da obra com investimento de R$ 8 milhões

Cidades

Sicredi reinaugura agência em Porto Belo

Estrutura localizada no bairro Vila Nova, conta com design moderno e visa proporcionar mais conforto aos associados.

Cidades

O maior prédio residencial do mundo será construído em Balneário Camboriú? Veja detalhes sobre o projeto

Se aprovada pela prefeitura, esta será a torre residencial mais alta do mundo, superando o Central Park Tower, na zona central de Manhattan, em Nova York,

Mais notícias

Geral

Prato do festival Balneário Saboroso faz sucesso e restaurante decide manter menu especial por mais 15 dias

Prato é sucesso e procura é tão grande, que o restaurante prorrogou a promoção

Geral

Cientista inventa banheiro que transforma fezes humanas em criptomoeda

Os micro-organismos, então, quebram as fezes e o metano é canalizado para uma célula de combustível de óxido sólido, que se torna fonte de energia para vários aparelhos na escola, como o aquecedor de água ou o fogão a gás.