keyboard_backspace

Página Inicial

Cidades

Resgate Social atendeu mais de 200 pessoas em setembro em Balneário Camboriú

O Resgate Social, departamento da Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, divulgou nesta quarta-feira (11) o balanço de atendimentos realizados em setembro. Durante o mês, as equipes do Resgate Social atenderam 207 pessoas, 14% a menos do que em agosto, onde foram atendidas 235 pessoas. Dessas, 193 foram acolhidas na Casa de Passagem do Migrante, algumas em mais de uma ocasião, resultando no total de 282 acolhimentos, recorde para setembro.

Dos 207 atendidos, 57 pessoas receberam passagem rodoviária para os municípios onde receberão acolhimento familiar ou de terceiros. O perfil básico dos auxiliados são homens (89% dos atendimentos), com idade entre 18 e 30 anos (43%), ensino fundamental incompleto (46%) e vieram a Balneário Camboriú em busca de emprego (38%). A maioria (70%) são oriundos da Região Sul do Brasil. Atualmente na cidade, 110 pessoas estão situação de rua e 21 são moradores de rua.

No início do mês de outubro, o Resgate Social iniciou a Operação Festas de Outubro para controlar o fluxo migratório e junção de pessoas em situação de rua ou vulnerabilidade social nas principais vias da cidade, ocasionados pelas festividades das cidades vizinhas a Balneário Camboriú. A ação será feita até o dia 22 de outubro, principalmente, nas Avenidas Atlântica e Brasil, diariamente. A atividade também conta com o apoio da Guarda Municipal (GM).

“Muitas pessoas que vieram para o nosso município em agosto e aqui resultaram em situação de rua foram orientadas a retornar a seus familiares. Quase a totalidade destes não eram moradores de rua, mas sim pessoas que vieram tentar a sorte em Balneário Camboriú, e por fim, não conseguiram emprego, nem se estabelecer. Com isso, houve uma diminuição no número de pessoas nessas condições, porém, a tendência é que aumente no mês de outubro, em razão das festas na região”, comentou o diretor do Resgate Social, Eder Clemente.

O Resgate Social, além de prestar auxílio e assistência, busca dar novas oportunidades aos cidadãos que, independente do motivo, acabaram indo para as ruas. Os moradores de rua são aqueles que vivem nas ruas há mais de um ano por escolha própria e que perderam todo o vínculo familiar. As pessoas em situação de rua são aquelas que ficaram sem residência em razão de desemprego, corte de vínculo familiar, e/ou dependência química, estando há menos de um ano nas ruas, e também aquelas que viajam de cidade em cidade, sem rumo definido, que ficam no município por poucos dias.

Os moradores também podem solicitar abrigo na Casa de Passagem, indo até o local localizado na Rua Edgar Linhares nº 570 – Bairro Nova Esperança, ou na Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social. Para entrar em contato com o plantão do Resgate Social o número é o (47) 98839 – 7075 ou pela Central do Resgate Social no 156.

Cidades

Vaquinha arrecada dinheiro para criança atropelada por moto em Camboriú

A família pede ajuda financeira e de materiais para o uso da menina

Cidades

VÍDEO: Caminhão carregado de cerveja perde o freio e tomba na descida do morro de Bombas

Fotos e vídeos mostram a carga de cerveja despejada na pista e muitos curiosos em volta

Cidades

Trabalhadores ficam feridos após caírem de aproximadamente 8 metros em Tijucas

Testemunhas afirmam que os trabalhadores estava com equipamentos de proteção individuais (EPIs)

Cidades

Pedágios caros inviabilizam concessão das rodovias federais catarinenses, diz governo federal

Planos de concessão para as rodovias BR 153, 470, 282 e 280 foram revogados, segundo o secretário Nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, Marcello da Costa Vieira

Cidades

Pesquisa aponta Santa Catarina como destino seguro mesmo durante a pandemia

Entre os que avaliaram o Estado como totalmente seguro, 41% pretendem viajar ainda no segundo semestre de 2020

Mais notícias