keyboard_backspace

Página Inicial

Economia

Produtores rurais recebem reforço na indenização para erradicar a brucelose e tuberculose

Brucelose e tuberculose são zoonoses e podem ser transmitidas para os seres humanos.

X
Foto: Cristiano Estrela / Secom

Referência internacional no cuidado com a saúde animal, Santa Catarina intensifica os esforços para erradicar a brucelose e a tuberculose bovina. Em 2020, o Fundo Estadual de Sanidade Animal (Fundesa) investiu R$ 11,7 milhões na indenização de produtores rurais pelo abate sanitário de animais doentes – maior soma desde a sua criação em 2004 – possibilitando a continuidade da produção de carne e de leite, além de preservar a saúde pública.

Santa Catarina é um dos únicos estados do país que indeniza integralmente os criadores pelo abate sanitário de animais doentes e o Fundesa é uma importante ferramenta. “Batemos recorde nos investimentos em 2020 e este ano o Fundesa contará com aproximadamente R$ 14 milhões em recursos para indenização de produtores rurais e combate a doenças em nossos rebanhos. A sanidade animal é um dos maiores patrimônios do agronegócio catarinense e nós não podemos, de forma alguma, descuidar nesse sentido”, destaca o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva.

A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural também reduziu o tempo de espera para indenizações e os produtores, que antes esperavam até 150 dias para receber o pagamento, agora aguardam em torno de 60 dias.

“A agilidade é um ponto muito importante. Os produtores chegaram a esperar até seis meses para receber as indenizações e, graças a um trabalho de gestão e o reforço financeiro do Governo do Estado, nós conseguimos agilizar o pagamento em tempo recorde. Nós queremos intensificar as ações para que o Fundesa seja cada vez mais rápido no pagamento de indenizações, dando segurança aos produtores rurais e a certeza na rigidez dos controles sanitários de Santa Catarina”, ressalta o secretário.

Em 2020, foram mais de 700 famílias rurais beneficiadas pelo Fundesa em todo o estado. Além dos produtores de bovinos, o Fundo também indeniza os proprietários de equinos e de aves.

Menor prevalência de brucelose animal do Brasil
Em outubro de 2020, Santa Catarina conquistou mais um título: o estado tem a menor prevalência de brucelose animal do Brasil. O reconhecimento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) demonstra a excelência da bovinocultura catarinense e a qualidade da sua produção agropecuária.

De acordo com o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal, do Ministério da Agricultura, os estados podem ser classificados de A até E de acordo com a prevalência das doenças. Santa Catarina é o único estado brasileiro com classificação A para brucelose e, junto com outros quatro estados, também obteve nota máxima para tuberculose.

Mais saúde para quem consome e para quem produz

Brucelose e tuberculose são zoonoses e podem ser transmitidas para os seres humanos. Por isso as ações para erradicação das doenças têm um grande impacto na vida de quem produz e de quem consome.

As zoonoses acometem menos de 2% do rebanho bovino catarinense. Esse é o resultado de um grande esforço do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) e do setor produtivo para erradicar as doenças.

Santa Catarina contabiliza mais de mil propriedades rurais certificadas como livres dessas doenças. O reconhecimento acontece após realização de testes em todos os animais, com intervalos de 6 a 12 meses, e sem nenhum caso positivo. As propriedades também seguem normas diferenciadas no trânsito de animais. Por conta da segurança sanitária, a certificação eleva o status da propriedade, oferecendo vantagem econômica ao produtor.

Vigilância constante

Em 2020, o Governo do Estado ampliou os investimentos na vigilância para localização de focos das doenças, realizações de diagnósticos definitivos e abates sanitários dos animais contaminados. Todos os anos são realizados aproximadamente 500 mil exames para analisar a presença de brucelose e tuberculose no rebanho catarinense.

Fonte: Visor Notícias

Economia

Porto de Itajaí abre 2021 com 6% de crescimento na movimentação em toneladas

Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes registra 18% de aumento

Economia

Porto Belo desponta no cenário imobiliário impulsionada pela qualidade de vida

O perfil do consumidor mudou bastante, com um aumento de até três dígitos no valor investido para estes produtos

Economia

Sindicato de hotéis de BC apoia plano de aceleração do desenvolvimento econômico

Na manhã desta segunda-feira (22), a Secretaria de Turismo de Balneário Camboriú apresentou o plano de aceleração para o desenvolvimento econômico e turístico do município, intitulado BC 4 Estações. A apresentação aconteceu no Hotel Sibara e […]

Economia

Plano Turístico prevê supertemporada para Balneário Camboriú

O objetivo é ter a maior e melhor temporada para recuperar os impactos sofridos com a pandemia

Economia

Veja quem serão os excluídos do pagamento do novo auxílio emergencial 2021

Distribuição de recursos deve ser realizada a partir do mês de março

Mais notícias

Segurança

Idosa sai para ir a uma festa e é encontrada 10 dias depois em buraco pela família

Idosa saiu de uma festa de aniversário no dia 13 de fevereiro para ir para casa e caiu dentro de uma grota

Geral

Chuva registrada no estado bate recorde e ajuda a normalizar nível de mananciais

Com chuvas acima da média, o nível da Lagoa do Peri voltou a normalidade