keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Procurado por latrocínio no Espírito Santo morava em SC há mais de 20 anos

Ele usou por 20 anos identidade falsa em Santa Catarina

X

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC), cumpriu um mandado de prisão contra um homem por condenação ao crime de latrocínio pela Comarca de Marechal Floriano, no Espírito Santo. A prisão ocorreu no bairro Vila Nova, em Palhoça, na tarde de segunda-feira (31).

O condenado vivia em Santa Catarina há cerca de 20 anos com documentos falsos. Ele chegou a cumprir pena no sistema prisional catarinense no período de 2004 a 2019 sem que tivesse a farsa descoberta.

Os investigadores da DIC começaram a descobrir o nome falso do autuado em meio a investigações relacionadas a um homicídio ocorrido em Palhoça em 10 de março. Durante o interrogatório na DIC, ele confessou o uso do nome falso diante das provas apuradas pelos investigadores da DIC que já possuíam laudo pericial produzido pelo Instituto Geral de Perícias (IGP).

O IGP, após informações da DIC, respondeu que os materiais papiloscópicos de ambos os nomes (o falso e o verdadeiro) na verdade pertenciam a mesma pessoa.

Diante da evidência, o autuado abandonou a sua versão e assinou o mandado de prisão, sendo ainda autuado em flagrante pela falsidade. Após a lavratura dos procedimentos cabíveis, o preso permanece agora com seu nome correto à disposição da Justiça.

Segurança

Homem com mandado de prisão por roubo é preso em Camboriú

Polícia cumpriu mandado no bairro São Francisco de Asis

Segurança

Vídeo: Dupla anuncia assalto, mas foge ao reconhecer que vítima era delegado

O motivo da desistência ao roubo, segundo o registro policial, foi a presença do delegado, reconhecido pelos criminosos

Segurança

Detento preso por estupro sofre abuso sexual por colegas de cela em presídio

Detento foi dopado com medicamentos por outros colegas de cela

Segurança

Traficante preso em Porto Belo usava menores de idade para vender drogas

Segundo informações do delegado Diogo Medeiros, o sujeito tem 26 anos e extensa fixa policial

Mais notícias