keyboard_backspace

Página Inicial

Política

Presidente falta a depoimento na PF, tenta recuso no STF e ministro Alexandre de Moraes nega

Jair Bolsonaro deveria depor nesta sexta-feira na Polícia Federal

Foto: Reprodução TV Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes negou hoje (28) recurso protocolado pela Advocacia-Geral da União (AGU) contra sua decisão individual que determinou o depoimento presencial do presidente Jair Bolsonaro no inquérito que apura a suposta divulgação de informações sigilosas sobre a investigação de um ataque de hackers ao sistema de informática do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ocorrido em 2018.

Ontem (28), Moraes determinou que o presidente deveria depor nesta sexta-feira, às 14h, na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília. No despacho, o ministro argumentou que Jair Bolsonaro pode exercer o direito constitucional ao silêncio, mas não pode se recusar previamente a participar dos atos processuais. Em novembro do ano passado, atendendo pedido da defesa, o ministro concedeu prazo adicional de 60 dias para marcação da oitiva.

No início da tarde, a AGU apresentou um agravo regimental para reconsideração do ministro ou julgamento pelo plenário para garantir que o presidente, em função do cargo que ocupa, possa optar pelo não comparecimento ao depoimento.

Ao analisar os argumentos, Alexandre de Moraes negou o recurso e entendeu que a petição não pode ser aceita pela questão processual da preclusão.

“A Advocacia-Geral da União – AGU protocolou a petição nº 3671/2022, nesta data, às 13h:49 – 11 minutos antes do horário agendado para o interrogatório – e recebida no Gabinete às 14h:08, sabendo tratar- se de recurso manifestamente intempestivo por preclusão temporal e lógica” decidiu o ministro.

Antes da primeira decisão de Moraes, a advocacia-geral argumentou no processo que o presidente não divulgou documentos sigilosos e que Bolsonaro “declinou da oitava pessoal”.

Na ocasião, a AGU afirmou que o depoimento pessoal não contribuiria para o processo. Além disso, destacou que decisões anteriores da Corte impedem a condução coercitiva para depoimento e garantem o “direito de ausência” da defesa.

Agência Brasil

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Política

Governo de SC dá inícia processo de construção da sede própria do Instituto de Cardiologia

A área total a ser construída será de 38.446,87, em um espaço ao lado do Hospital Regional

Política

Vereadora de Itapema pede contratação de profissionais na APAE

Atualmente a associação conta com uma psicóloga, duas fonoaudiólogas e uma assistente social

Política

Nível de emissão de carbono na atmosfera atingiu recordes preocupantes

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Bolsonaro deve exonerar presidente da Caixa após denúncias de assédio

Bolsonaro disse a Pedro Guimarães que denúncias de assédio são ‘inadmissíveis’, segundo aliados

Política

Câmara de Itapema recebe Comissão dos aprovados para a Guarda Municipal

O Procurador do Legislativo, Alvadi Henrique, e o assessor especial de Governo, João da Cruz Neto, participaram do encontro

Mais notícias

Segurança

Vizinhos escutam gritos de socorro e descobrem que homem foi morto com 29 facadas

A vítima levou 29 facadas no corpo, a maioria na região do abdômen

Segurança

Policial mata a irmã a tiros e é presa pelo marido, que também é PM

Rhaillayne Oliveira de Mello, 23 anos, foi presa pelo próprio marido, que também é PM