keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Polícia Federal faz operação em BC e Camboriú contra criminosos que desviaram mais de R$ 10 milhões de pensão

Organização criminosa atuava em Santa Catarina, Paraná e Pernambuco, com uso de documentos e dependentes falsos para saques de pensões

X
Foto: PF/Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (11), uma operação contra um grupo criminoso de estelionato previdenciário. As ações são resultados do trabalho desenvolvido pela Força-Tarefa Previdenciária, em Santa Catarina, composta pela Polícia Federal e a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista no Estado. Ao todo, policiais federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão nos estados

Os trabalhos ocorreram em Balneário Camboriú, Camboriú, Penha e Ponte Alta do Norte, em Ibati (Paraná) e Caruaru, Gravatá e Petrolina (Pernambuco).  As investigações começaram no dia 30 de abril após uma mulher realizar o saque de pouco mais de R$ 19 mil em uma agência bancária em Florianópolis, fruto de uma pensão por morte obtida com o uso de documentos falsos para comprovar dependência inexistente com o segurado falecido.

Tal fato marcou o início das investigações, que possibilitaram a identificação de diversos outros casos idênticos, bem como do grupo criminoso voltado à prática de estelionato previdenciário enraizado em Santa Catarina, mas com atuação em diversos estados brasileiros.

Por meio da descoberta de segurados que vieram à óbito sem deixar dependentes, a quadrilha recrutava pessoas sem qualquer relação com os falecidos e, se valendo de comprovantes de dependência falsos, passava a requerer o benefício de pensão por  morte, repartindo o lucro do golpe entre seus membros.

Até o momento, somente com os casos já identificados, a quadrilha causou um prejuízo superior a R$ 635 mil, mas, que pode alcançar quantia superior a R$ 10 milhões com os pagamentos futuros dos benefícios irregulares, considerando a média de vida do cidadão brasileiro medida pelo IBGE, caso a atividade criminosa não fosse cessada pela operação policial. As investigações em curso indicam a prática de estelionato previdenciário por organização criminosa, cujas penas tipificadas em lei se somadas podem alcançar mais de 13 anos de prisão, sem prejuízo de outros crimes ainda a serem apurados, inclusive a possível participação de outros pseudopensionistas e funcionários públicos, especialmente os crimes de falsidade documental, peculato e corrupção passiva, conforme disposto no Código Penal brasileiro.

O nome da operação – Segue o Baile – se deve ao fato de que as lideranças da organização criminosa já foram objeto de duas operações da Polícia Federal nos últimos dez anos, inclusive presos, o que não impediu que a atividade criminosa tivesse prosseguimento, nem mesmo o fato de seu principal mentor estar recolhido em um presídio na região Nordeste, e, de dentro da prisão, continuar com  participação efetiva nas atividades desenvolvidas por seus comparsas do lado de fora do cárcere.

Fonte: Visor Notícias

Geral

Depois de casa inteira, agora tem avião sendo transportado em caminhão. Veja onde aconteceu

O avião foi comprado por um casal que decidiu colocá-lo em um terreno particular

Geral

Deolane Bezerra compra mansão de R$ 11 milhões e fotos da casa viralizam

Imóvel tem cinco quartos, 11 banheiros e várias banheiras de hidromassagem

Geral

Como ver o Spotify Wrapped 2021 e compartilhar a sua retrospectiva

Retrospectiva revela quais são os artistas e músicas mais ouvidos pelo usuário

Geral

Comandante passa mal durante voo a 25 mil pés de altitude e copiloto assume controle do avião

Copiloto assumiu os comandos da aeronave e voltou para o aeroporto de origem, pousando cerca de 50 minutos após sua partida

Geral

Santa Catarina contrata 1,5 mil servidores aprovados em concurso da Educação

No edital, é possível consultar as informações detalhadas da chamada e o quadro de vagas por cargo

Mais notícias

Cultura e Lazer

Sicredi leva ônibus cinema para escolas da região

Cooperativa realizou ação itinerante para celebrar a Semana Nacional de Educação Financeira

Segurança

Traficante de SC enviada maconha pelo correio para usuários

A venda ocorria pela internet e a maconha era enviada pelos Correios.

Atendente Virtual Visor

Estou disponível, posso ajudar?

openPopup