keyboard_backspace

Página Inicial

Coronavírus

Oftalmologista oferece ‘tratamento precoce’ em troca de ‘likes’ e causa polêmica

O YouTube informou que, de acordo com uma nova regra da plataforma, removeu 12 vídeos do canal por conteúdo que disseminava informações médicas incorretas, como afirmar que há uma cura garantida para a covid-19 ou recomendar o uso de ivermectina ou hidroxicloroquina

X
Foto: Print Youtube

Um deputado, oftalmologista e agora youtuber causou polêmica nos últimos dias. O médico Albert Dickson usa as redes sociais como moeda de troca para receitar um “tratamento precoce” contra o coronavírus. Aos pacientes que buscam pelas receitas, o médico envia um passo a passo de como interagir com suas redes sociais:

“Como que vocês vão ter direito à consulta? Vocês vão se inscrever no nosso canal, ganhando uma etapa no atendimento. Vocês vão printar e mandar para o meu WhatsApp. Quando você mandar, você já vai começar a ter o acesso à consulta comigo”, disse em um vídeo publicado no Facebook no dia 7 de março. “O segredo é mandar o print.”

A reportagem publicada originalmente pelo portal BBC, mostra que o médico/deputado/Youtuber, indicado em um grupo de aplicativo de troca de mensagens. Ao ser questionado, Dickson respondeu que “sugere” a inscrição em seu perfil de Instagram e canal do YouTube porque neles publica “pesquisas atualizadas” e “explica a doença de forma detalhada e nossa experiência com a mesma, além de tirar dúvidas ao vivo”.

Diversos médicos no Brasil defendem e prescrevem medicamentos comprovadamente ineficazes ou sem eficácia comprovada para “prevenir” ou “tratar” a covid-19, prática que dizem ser um suposto “tratamento precoce” (leia mais sobre esses medicamentos no fim da reportagem). Há opções de consultas pagas, atendimento gratuito e, neste caso, concedidas após pedido de um “like” no YouTube.

Além disso, diz ele, não é obrigatório se inscrever no canal para ser atendido. “Apenas sugerimos, o que muitos não fazem, e continuamos a atender e responder. A consulta virtual não se paga absolutamente nada, nunca cobrei, afirmou. Dickson disse ser também “acima de tudo médico, e o tratado internacional e o Conselho Federal de Medicina na resolução 04/20 nos dá o direito médico de medicar contra o covid e nele prevalece a autonomia médica”.

Questionado sobre o conteúdo relacionado a tratamento precoce presente no canal, o YouTube informou que, de acordo com uma nova regra da plataforma, removeu 12 vídeos do canal por conteúdo que disseminava informações médicas incorretas, como afirmar que há uma cura garantida para a covid-19 ou recomendar o uso de ivermectina ou hidroxicloroquina. O canal segue no ar, entretanto, porque os vídeos removidos haviam sido publicados em um período anterior a essa nova regra, de 12 de abril.

As recomendações de Dickson são vistas por seus 139 mil seguidores em dois perfis no Instagram. No Facebook, quase 50 mil pessoas o seguem, e há vídeos com mais de 200 mil visualizações.

Questionado pela BBC News Brasil, um porta-voz do Facebook, empresa dona do Instagram, disse que “remove alegações comprovadamente falsas sobre a doença”, sem responder por que não removeu publicações semelhantes feitas pelo deputado, como a de que a ivermectina teria ação profilática contra a covid-19. Na realidade, não há comprovação científica da eficácia do medicamento para a covid,segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) – veja adiante. A empresa disse também ter anunciado um novo rótulo para publicações que informa que “alguns tratamentos não aprovados podem causar danos graves”.

Fonte: BBC News

Coronavírus

Criança de SC com AME é internada na UTI com Covid-19 e H1N1

Eloah Lemos da Silva, de três anos, de Tubarão, no Sul do Estado, foi internada na UTI

Coronavírus

Caminhoneiros de 18 a 59 anos podem se vacinar contra Covid-19 no Centreventos

Secretaria Municipal de Saúde recebeu 1.080 doses da vacina contra a Covid-19

Coronavírus

Taxa de ocupação de UTI Adulto SUS em SC é de 96,6%

O número de casos ativos registrou um aumento de 759 e houve 76 óbitos adicionais registrados em relação ao último boletim.

Coronavírus

Coronavírus em SC: Governo do Estado prorroga por 15 dias decreto com medidas sanitárias contra a Covid-19

O Decreto também altera as regras para a realização de eventos de grande porte ou de massa com mais de 500 participantes

Mais notícias

Segurança

Assaltante morre em confronto com a PM e dois são presos em Bombinhas

Dois criminosos foram mortos no final da tarde desta quinta-feira (17), no bairro José Amândio, em Bombinhas. Segundo informações preliminares eles haviam praticado assaltos na região da Grande Florianópoli

Cidades

Violência contra o idoso dobra durante pandemia e continua crescendo

Alerta foi feito nesta quinta-feira (17) durante Roda de Conversa entre os vereadores de São José , representantes de entidades e do município