keyboard_backspace

Página Inicial

Coronavírus

Oftalmologista oferece ‘tratamento precoce’ em troca de ‘likes’ e causa polêmica

O YouTube informou que, de acordo com uma nova regra da plataforma, removeu 12 vídeos do canal por conteúdo que disseminava informações médicas incorretas, como afirmar que há uma cura garantida para a covid-19 ou recomendar o uso de ivermectina ou hidroxicloroquina

X
Foto: Print Youtube

Um deputado, oftalmologista e agora youtuber causou polêmica nos últimos dias. O médico Albert Dickson usa as redes sociais como moeda de troca para receitar um “tratamento precoce” contra o coronavírus. Aos pacientes que buscam pelas receitas, o médico envia um passo a passo de como interagir com suas redes sociais:

“Como que vocês vão ter direito à consulta? Vocês vão se inscrever no nosso canal, ganhando uma etapa no atendimento. Vocês vão printar e mandar para o meu WhatsApp. Quando você mandar, você já vai começar a ter o acesso à consulta comigo”, disse em um vídeo publicado no Facebook no dia 7 de março. “O segredo é mandar o print.”

A reportagem publicada originalmente pelo portal BBC, mostra que o médico/deputado/Youtuber, indicado em um grupo de aplicativo de troca de mensagens. Ao ser questionado, Dickson respondeu que “sugere” a inscrição em seu perfil de Instagram e canal do YouTube porque neles publica “pesquisas atualizadas” e “explica a doença de forma detalhada e nossa experiência com a mesma, além de tirar dúvidas ao vivo”.

Diversos médicos no Brasil defendem e prescrevem medicamentos comprovadamente ineficazes ou sem eficácia comprovada para “prevenir” ou “tratar” a covid-19, prática que dizem ser um suposto “tratamento precoce” (leia mais sobre esses medicamentos no fim da reportagem). Há opções de consultas pagas, atendimento gratuito e, neste caso, concedidas após pedido de um “like” no YouTube.

Além disso, diz ele, não é obrigatório se inscrever no canal para ser atendido. “Apenas sugerimos, o que muitos não fazem, e continuamos a atender e responder. A consulta virtual não se paga absolutamente nada, nunca cobrei, afirmou. Dickson disse ser também “acima de tudo médico, e o tratado internacional e o Conselho Federal de Medicina na resolução 04/20 nos dá o direito médico de medicar contra o covid e nele prevalece a autonomia médica”.

Questionado sobre o conteúdo relacionado a tratamento precoce presente no canal, o YouTube informou que, de acordo com uma nova regra da plataforma, removeu 12 vídeos do canal por conteúdo que disseminava informações médicas incorretas, como afirmar que há uma cura garantida para a covid-19 ou recomendar o uso de ivermectina ou hidroxicloroquina. O canal segue no ar, entretanto, porque os vídeos removidos haviam sido publicados em um período anterior a essa nova regra, de 12 de abril.

As recomendações de Dickson são vistas por seus 139 mil seguidores em dois perfis no Instagram. No Facebook, quase 50 mil pessoas o seguem, e há vídeos com mais de 200 mil visualizações.

Questionado pela BBC News Brasil, um porta-voz do Facebook, empresa dona do Instagram, disse que “remove alegações comprovadamente falsas sobre a doença”, sem responder por que não removeu publicações semelhantes feitas pelo deputado, como a de que a ivermectina teria ação profilática contra a covid-19. Na realidade, não há comprovação científica da eficácia do medicamento para a covid,segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) – veja adiante. A empresa disse também ter anunciado um novo rótulo para publicações que informa que “alguns tratamentos não aprovados podem causar danos graves”.

Fonte: BBC News

Coronavírus

Santa Catarina reduz a cinco meses intervalo para dose de reforço em idosos

Santa Catarina terá dose de reforço na imunização de idosos de 60 anos ou mais contra a Covid-19 cinco meses após completarem o esquema vacinal com as duas doses ou a dose única. A proposta […]

Coronavírus

Covid-19: 20 milhões estão com a segunda dose da vacina atrasada

Sem atraso, Brasil teria 80% do público-alvo totalmente vacinado

Coronavírus

Vacinação em SC: Estado avança na imunização, mas alerta para a necessidade da segunda dose

Mais de 64% da população com 12 anos ou mais está completamente imunizada com as duas doses ou dose única da vacina

Coronavírus

SC distribui doses de reforço para trabalhadores da saúde e vacina adolescentes contra a Covid-19

O diretor da Dive, João Augusto Brancher Fuck, esclarece que cada município tem um ritmo de vacinação e é responsável por definir estratégias próprias para a aplicação das doses na população

Coronavírus

Brasil registra menor média móvel de mortes desde o início da pandemia

Seis meses após o pico da doença, vacinação mostra resultados

Mais notícias

Animal

Homem usa jacaré para tentar morder outra pessoa durante briga na praia

Após a confusão, o jacaré foi capturado e solto no Parque Natural Municipal de Marapendi

Brasil

Alerta para temporais, queda de granizo e ventos de até 100km/h em Santa Catarina

No mapa de risco, aparecem quatro Estados Brasileiros: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul