keyboard_backspace

Página Inicial

Política

O poder de Ciro Nogueira no governo Bolsonaro

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília (27)

X
Agência Senado

Eminência parda

Presidente de um dos partidos com mais votos no Congresso Nacional e boas bancadas em Assembleias Estaduais, o senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI) tornou-se o homem mais poderoso do Governo sem ter cargo. A eminência parda do presidente Jair Bolsonaro transita com desenvoltura no Legislativo, passa por portas palacianas sem agendas e virou alvo de demandas diversas suprapartidárias. Emplacou um ministro no Supremo Tribunal Federal – ele é o principal padrinho da indicação de Nunes Marques, e comemorou abertamente no Twitter – e pode conquistar a presidência da Câmara dos Deputados na figura de Arthur Lira, deputado de seu partido que apadrinha. É do Progressistas uma das futuras vagas na iminente minirreforma ministerial.

Na moita

Ciro articula levar para a legenda um nome de vitrine para indicar de vice na chapa presidencial da tentativa de reeleição de Bolsonaro, cujas tratativas já começaram.

Ser com discrição

O senador ativou o modo ‘ser sem ser visto’ e ganhou a confiança do presidente da República. Mas é especulação qualquer menção a ele como eventual vice na chapa, por ser alvo da Operação Lava Jato como um dos ilustres da Lista de Janot, o ex- PGR.

Nos gabinetes

A rádio Esplanada, tocada apenas entre portas de gabinetes políticos, indica que o governador Ibaneis Rocha, do DF, pode se filiar ao Progressistas.

Pé de guerra

A corrida pelas presidências da Câmara e do Senado rachou de vez o DEM. O presidente da Câmara (DEM-RJ), Rodrigo Maia (RJ), e o presidente nacional do partido, ACM Neto (BA), estão em pé de guerra por causa dos deputados que contrariam a orientação da bancada e declaram voto em Arthur Lira (PP-AL). 

Véspera

Maia esperava mais engajamento do presidente do DEM na campanha de Baleia Rossi (MDB-SP). Sem a intervenção de ACM, a maioria dos democratas ameaça, às vésperas da eleição, derrotar Maia e fechar com o bloco de Arthur Lira.

Fissura

Outra fissura no DEM envolve Rodrigo Maia e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (AP). Os dois não se falam desde que o STF barrou a possibilidade de reeleição no Congresso. Recente, Alcolumbre ignorou o ofício de Maia com pedido para  convocação da Comissão Representativa do Congresso Nacional.

Rival

Estagnada, a candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS) à presidência do Senado perde apoio até dentro da bancada emedebista. Pelo menos quatro – dos 15 senadores – já falam em votar no rival Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Privatizações

Para acalmar o mercado e evitar novas baixas, a equipe econômica tem posicionado a investidores que a agenda de privatizações tende a avançar no Congresso com a eleição de aliados do Planalto para os comandos da Câmara e do Senado. Wilson Ferreira deixou a presidência da Eletrobras por conta das dificuldades de desestatização da empresa.

Dever de casa

Antes de decidir o partido ao qual irá se filiar após as eleições do Congresso, o presidente Jair Bolsonaro quer saber, com detalhes, como está a atual situação em cada Estado das siglas que o convidaram. O PTB já fez o dever de casa e entregou ao presidente um “dossiê” sobre atuação e alianças do partido até em municípios.  

Segunda onda

Medidas de distanciamento menos rígidas podem agravar a segunda onda de Covid-19. É o que aponta estudo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea): “Entre os meses de abril e dezembro de 2020, o grau de rigor das medidas de distanciamento diminuiu de 6,3 para 2,9 (-54%) – em uma escala de 0 a 10. No mesmo período, o número médio de novos óbitos aumentou de 1,0 para 3,1 por 1 milhão de habitantes”.

Fura-fila 

O senador Plínio Valério (PSDB-AM) propõe alterar o Código Penal para tipificar como crime a “burla à ordem de vacinação”. Pela proposta do tucano, quem furou fila pode pegar prisão de três meses a um ano, mais multa. Se o agente for autoridade ou servidor púbico, a pena pode chegar a um ano e meio.

Painel

O painel artístico feito por artistas para o projeto beneficente do Instituto da Primeira Infância (Iprede) foi retirado do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. À Coluna, a Fraport Brasil, que administra o terminal, diz que “o quadro foi retirado em função das obras”e depois será reinstalado.

Fonte: Visor Notícias

Política

Mais de R$ 400 milhões para a BR-470

Obras de duplicação devem ganhar reforço orçamentário em 2021

Política

Paulinha pede agilidade na votação de projetos voltados para as mulheres na Alesc

Ela comentou que tem hoje cinco projetos encaminhados na Casa que são destinados para as mulheres

Política

Em Brasília, governador acompanha lançamento das obras na BR-163

Recentemente, o governador já sinalizou ao ministro, a disponibilidade de R$ 200 milhões para a obra de duplicação em dois lotes da BR-470

Política

Vereadores de Itapema requerem ao Governo do Estado revisão no ICMS de combustíveis

O Requerimento de n.º 20/2021, pede ao Chefe do Executivo Estadual que considere a redução da alíquota do ICMS seguindo a medida adotada pelo Governo Federal

Mais notícias

Utilidade Pública

Águas de Camboriú faz reforços de rede para aumentar eficiência no abastecimento

Os reforços de rede no sistema de abastecimento são fundamentais para gerar mais eficiência e segurança na distribuição de água durante todo o ano. Ao longo do ano passado, a Águas de Camboriú realizou diferentes […]

Coronavírus

Itapema aplicou mais de 1500 vacinas contra o coronavírus

O programa está disponível para público-alvo da primeira fase da imunização conforme o Plano Nacional