Sexta, 10 de julho de 2020
47 99609-9282
Cidades

30/06/2020 ás 14h57

AdminX

Itapema / SC

Pais que torturaram e tentaram matar filha de dois meses são condenados a 50 anos de prisão
Caso aconteceu em Capivari de Baixo em 2018
Pais que torturaram e tentaram matar filha de dois meses são condenados a 50 anos de prisão
X
Imagem Ilustrativa

Foram 18 horas de julgamento para o Tribunal do Júri de Capivari de Baixo condenar a 50 anos de prisão, em penas somadas, um casal acusado de torturar e tentar matar a própria filha, recém-nascida de dois meses.

Os crimes de tortura-castigo e tentativa de homicídio qualificado foram praticados entre os meses de maio e julho de 2018. A motivação envolvia desconfiança e suspeita de traição por parte do pai da criança, que não aceitava o fato de ela apresentar cor da pele mais clara que a do casal, motivo pelo qual castigava severa e constantemente a criança com socos, pontapés e cotoveladas.

A recém-nascida deu entrada em um hospital de Tubarão por quatro vezes, em curto espaço de tempo, com sinais de convulsão, sangramento na boca, afundamento craniano e lesões nos braços, pernas e arcos costais, despertando nos médicos suspeitas de que as lesões eram decorrentes de agressões domésticas.

O pai da criança foi preso em flagrante pelo crime de tentaiva de homicídio. Desde então, o homem se encontrava preso preventivamente, aguardando pelo julgamento.

No decorrer do processo, a mãe da criança também foi acusada pelos crimes de tortura-castigo e homicídio qualificado na forma tentada porque falhou ao não agir para evitar o resultado, deixando de levar ao conhecimento das autoridades as agressões sofridas pela filha.

Julgamento aconteceu nessa segunda-feira

Nessa segunda-feira (29), o Conselho de Sentença se reuniu no Fórum da Comarca de Capivari de Baixo. Depois de mais de 18 horas de julgamento o Conselho de Sentença, representado por sete jurados escolhidos entre os próprios moradores da cidade, reconheceu parcialmente a culpabilidade do casal, e o juiz-presidente da sessão sentenciou o casal a penas privativas de liberdade que, juntas, somam 50 anos de prisão.


 


Segundo o delegado Vandilson Moreira, na época, a bebê foi para a Casa Lar, onde ficam as crianças encaminhadas judicialmente ao município. Como essa situação fica em segredo de justiça, não se pode afirmar com quem a criança está atualmente.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados