keyboard_backspace

Página Inicial

Tecnologia

Navegação anônima do Google não é anônima, diz processo nos EUA

Processo diz que empresa capta dados sensíveis mesmo sem autorização

O mecanismo de busca do Google segue coletando dados de usuários mesmo daqueles que utilizam a função navegação anônima de seu navegador, afirmou o procurador-geral do estado norte-americano do Texas, Ken Paxton, nesta quinta-feira (19). Ele apresentou um adendo a um processo aberto contra a companhia no início do ano.

Os estados norte-americanos do Texas, Indiana, Washington e o Distrito de Columbia entraram com ações separadas contra o Google em janeiro sobre o que chamaram de “práticas enganosas de rastreamento de localização que invadem a privacidade dos usuários.”

O encaminhamento de Paxton adiciona o modo de navegação anônima do Google ao processo aberto em janeiro. A navegação anônima, ou navegação privada, é uma função que Paxton disse que deveria implicar em um não rastreamento do histórico de pesquisa, atividade e localização do usuário pelo Google.

O processo diz que o Google oferece a opção de “navegação privada” que pode incluir “a visualização de sites altamente pessoais que podem indicar, por exemplo, histórico médico e orientação política ou sexual do usuário. Ou, talvez, o usuário queira comprar um presente para alguém sem que a pessoa descubra a surpresa ao ser bombardeada por anúncios direcionados.”

O processo afirma que “na realidade, o Google coleta secretamente uma série de dados pessoais, mesmo quando um usuário aciona o modo de navegação anônima.”

O Google não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Em janeiro, a empresa disse que “os casos são baseados em alegações imprecisas e afirmações desatualizadas sobre nossas configurações. Sempre incluímos recursos de privacidade em nossos produtos e fornecemos controles robustos para dados de localização.”

Paxton alegou anteriormente que o Google enganou os consumidores ao continuar rastreando a localização dos usuários mesmo quando eles tentavam impedir isso.

O Google oferece uma configuração de “histórico de localização” e informa aos usuários que se eles desativarem “os lugares que você vai não serão mais armazenados”, disse Texas.

Em janeiro, um juiz do Arizona decidiu que as alegações de que o Google enganou usuários com configurações de rastreamento de localização de smartphones pouco claras deveriam ser avaliadas por um júri e se recusou a descartar uma ação movida pelo procurador-geral do estado.

Fonte: Agência Brasil.

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Tecnologia

Em 10 anos, inteligência artificial pode ter sentimento, diz executivo

Curitiba sedia Viasoft Connect, evento de inovação

Tecnologia

Foguete de Elon Musk lança dois satélites da Força Aérea Brasileira

Foguete de Elon Musk lança dois satélites da Força Aérea Brasileira

Tecnologia

Empresa estuda produzir borracha natural através de enzimas do tomate

Sumitomo Rubber Industries, dona das marcas Dunlop e Falken, avança nos estudos a respeito da síntese de borracha natural

Tecnologia

Dona do Snapchat lança câmera voadora

Vídeos e imagens são salvos diretamente na rede social.

Tecnologia

Orkut vai voltar? Criador da rede social reativa site e promete novidades em breve

Reativação do site agitou web que está ansiosa para voltar a rede social mais queridinha dos anos 2000

Mais notícias

Segurança

Polícia Civil investiga morte de bebê de cinco meses em Criciúma

Óbito ocorreu dentro de casa na noite de sexta-feira (24)

Geral

Familiares se despedem do jornalista Dom Phillips em Niterói

Família disse que seguirá atenta aos desdobramentos das investigações