keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Jovem tem parte do pulmão retirado em cirurgia após fungos por uso de narguilé

Lívia Monteiro também passou por transfusão devido à grande quantidade de sangue que perdeu no procedimento

X
Foto: Lívia Monteiro/Arquivo pessoal

Por causa de fungos contraídos durante o uso de narguilé, uma jovem de 19 anos, teve parte do pulmão retirado em uma cirurgia de lobectomia – remoção do lobo inteiro do pulmão. Lívia Monteiro também passou por transfusão devido à grande quantidade de sangue perdido no procedimento. A cirurgia ocorreu no dia 14 de junho em Cuiabá (MT), onde a jovem permaneceu internada por dois dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).  Agora ela se recupera em uma enfermaria. Nas redes sociais, ela publicou uma mensagem de alerta aos amigos. A informação foi divulgada pelo portal G1.

Segundo a jovem, ela faz o uso de narguilé desde os 16 anos, no entanto, não era frequente. “Muitas vezes estava no ambiente com narguilé, mas não fazia o uso, por que me dava dor de cabeça e enjoo. Era uma vez por mês, ou um pouco mais”, explicou. Lívia disse que a primeira vez que se sentiu mal após o uso do tabaco foi em abril deste ano.

“Passei mal um único dia. Fui ao hospital com falta de ar e febre achando que fosse Covid, mas fiz três testes e todos deram negativo. Depois, fiz tomografia e os médicos de plantão disseram que não era nada”, contou. Ainda, na dúvida, a mãe da jovem decidiu levar os resultados dos exames a um pneumologista, que deu o diagnóstico de aspergilose – infecção causada por fungos.

Em seguida, após um breve tratamento, ela foi encaminhada para a cirurgia. O procedimento demorou cerca de 6 horas. Ela segue em tratamento no hospital, sem previsão de alta. “Sejam cuidadosos e exijam sempre os devidos cuidados no uso do narguilé. Caso utilizem, tenham responsabilidade com você e com o próximo. Não desejo isso que estou passando a ninguém”, ressaltou.

Foto: Lívia Monteiro/Arquivo pessoal

Narguilé x riscos

A fumaça produzida pelo narguilé e tragada pelos jovens é composta de água e tabaco aromatizado. Muitos dividem o bocal do aparelho em uma roda de conversa, o que pode ocasionar riscos à saúde. O tabaco para o narguilé é produzido pela fermentação com melaço, glicerina e essências de fruta. Se comparado com o cigarro, muitos acreditam que o hábito faz menos mal para a saúde.

No entanto, segundo um estudo feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a fumaça do narguilé inalada por 20 a 60 minutos equivale a fumar 100 cigarros. Como o produto produz um sabor adocicado, as pessoas acabam consumindo por mais tempo. A média de consumo, em geral, é de 1 hora.

Fonte: G1

Segurança

Homem é encontrado morto com tiros na cabeça após receber ameaças

No local, ao lado do corpo, estavam uma motocicleta e uma gaiola, que a polícia não sabe dizer se tinha relação com o crime ou não

Segurança

Ataque a tiros em restaurante deixa jovem morto e adolescente ferido em SC

A Polícia ainda não identificou os suspeitos e está investigando o caso

Segurança

Professor que abusava de alunas é condenado a 31 anos de prisão

Um professor de cidade do norte do Estado foi condenado a 31 anos e um mês de reclusão, em regime inicialmente fechado, pela prática do crime de estupro de vulnerável contra três vítimas diferentes, ao […]

Segurança

Polícia dá dicas de como não cair no “Golpe do Amor”

Os golpistas buscam dados de suas vítimas em aplicativos de relacionamento e namoro. O primeiro contato é feito pelo site de relacionamento e depois pelo WhatsApp. Após iniciar conversas amorosas com fotos de uma pessoa […]

Segurança

Acidente com dois carros deixa seis pessoas feridas no Oeste catarinense

O acidente foi uma colisão frontal entre um Ford/Fiesta e um Volkswagen/Voyage

Mais notícias

Cultura e Lazer

Profissionais de saúde fazem voo de balão em Balneário Camboriú

As empresas envolvidas foram a Vou de Balão, Golfier Ballons, a DZ Quatro Sete, e o empresário e paraquedista Daniel Cajal

Geral

Judô é o esporte com mais medalhas olímpicas do Brasil

Tauan Gomes, educador físico e filho de atletas com medalhas, conta sobre os benefícios da luta