keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Iphan entrega três edificações restauradas

Palácio dos Príncipes, construído em 1870 para servir à administração da colônia Dona Francisca, também conhecido como "Maison de Joinville", foi tombado pelo Iphan em 1939.

Três edificações são devolvidas totalmente restauradas à população catarinense nesta segunda, 21, e terça-feira, 22, depois de passarem por obras realizadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo. O Clube Congresso Lagunense e o Complexo Ferroviário, ambos em Laguna, e o Museu Nacional de Imigração e Colonização, em Joinville, passaram por projetos de restauro que totalizam um investimento de R$ 7,2 milhões.

As cerimônias de entrega começaram em Joinville, às 15h30 de segunda-feira, 21, com a reabertura do Museu Nacional de Imigração e Colonização. No dia seguinte, em Laguna, ocorrem as cerimônias do Clube Congresso às 10h e, então, da Estação Ferroviária às 11h30.

“A devolução dos espaços públicos completamente restaurados à sociedade catarinense demonstra cada vez mais o compromisso do Governo Federal com o resgate da nossa história. Desde 2019 já foram entregues por todo Brasil 70 obras, com investimento de mais de R$ 290 milhões. Ainda estamos com 76 obras em execução, totalizando cerca de R$ 390 milhões”, explica a presidente do Iphan, Larissa Peixoto.

“Os cerca de R$ 7,2 milhões investidos nas três obras que estamos entregando nesta semana em Santa Catarina são oriundos do Fundo de Direitos Difusos (FDD), coordenado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. O FDD é um grande parceiro do Patrimônio Cultural brasileiro e essa parceria reforça a cooperação de todo o Governo Federal na preservação dessas edificações com muito valor histórico e cultural aos catarinenses”, completou a presidente.

Joinville

O Palácio dos Príncipes, construído em 1870 para servir à administração da colônia Dona Francisca, também conhecido como “Maison de Joinville”, foi tombado pelo Iphan em 1939. Com a criação do Museu Nacional de Imigração e Colonização, em 1967, passou a abrigar um rico acervo de história, objetos e memórias da imigração no Sul do Brasil.

As obras realizadas pelo Iphan, com investimento de R$ 2,9 milhões, tiveram duas frentes: a restauração completa do Palácio dos Príncipes e a construção de uma nova edificação aos fundos do museu, que abrigará áreas administrativas e de reserva técnica, além de um espaço expositivo adicional.

O projeto recuperou pisos, alvenarias, escada, cobertura, alpendre e elementos decorativos do palácio. Também foram feitas intervenções para melhorar a acessibilidade do prédio. As intervenções incluíam novas instalações elétricas, sanitárias, de climatização, preventivas de incêndio e proteção de descargas elétricas. O novo prédio anexo foi construído em estrutura pré-moldada e estilo contemporâneo.

No evento de inauguração o público poderá conferir a exposição temporária “Frações do Porvir”, que traz uma prévia do projeto que está sendo desenvolvido, também com recursos do Iphan, para renovação e modernização da expografia do museu e que tem previsão de conclusão até o fim do ano.

Laguna

O Clube Congresso Lagunense foi fundado em 1889 com o propósito de criar um local de encontro para a juventude, oferecendo lazer, entretenimento, atividades físicas e intelectuais aos jovens de Laguna, onde os clubes tiveram e têm um importante papel na vida social da cidade. A atual sede do Congresso foi construída em 1934, em estilo eclético, se consolidando como um espaço de congregação comunitária. A edificação foi tombada pelo Iphan, em conjunto com o Centro Histórico da cidade, em 1985.

Com investimento de R$ 1,3 milhão, as intervenções incluíam a restauração completa do prédio, com pisos, esquadrias, forros e alvenarias, recuperação da cobertura, novas instalações sanitárias e soluções de acessibilidade. O projeto também previu novas instalações elétricas, de comunicação, de climatização e iluminação, além de sistemas de prevenção e combate a incêndio.

Já o Complexo Ferroviário de Laguna é composto pela antiga Estação Ferroviária e antigo Armazém de Cargas, no bairro de Campo de Fora. O armazém foi a primeira estação em Laguna, edificada entre 1880 e 1884. A antiga Estação, por sua vez, foi construída em meados de 1950 em estilo art-decó. Situado no entorno do Centro Histórico de Laguna, o complexo é valorado como Patrimônio Cultural do Brasil desde 2007.

O projeto de restauro recebeu investimento de aproximadamente R$ 3 milhões. O escopo das obras incluiu restauração completa de pisos, esquadrias, forros e alvenarias, além de novas instalações elétricas, de comunicação, de climatização e de iluminação. Também foram realizadas a construção de bloco anexo com sanitários, depósito e área de serviço. Por fim, na área foram implantados estacionamento, calçadas, palco ao ar livre, academia, parquinho infantil, pista de skate e arborização.

Fundo de Direitos Difusos

Os cerca de R$ 7,2 milhões investidos nas três obras são oriundos do Fundo de Direitos Difusos (FDD), coordenado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. O FDD reúne recursos provenientes de condenações judiciais, multas e indenizações com vistas à reparação de danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico. Compreendidos como formas de reparação à ordem econômica e outros interesses difusos e coletivos, os valores disponíveis são destinados a projetos de instituições públicas e entidades civis a partir de edital de seleção.

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Geral

Casal adota 3 irmãs por meio de sistema inovador da Justiça de SC

Em quatro anos, o sistema possibilitou a adoção de 85 crianças e adolescentes

Geral

Frio abre a temporada de pesca da tainha em Santa Catarina

Em um único lanço foram mais de 9 mil peixes. Veja o vídeo do Visor Manhã

Geral

Município de Treviso pagará multa de quase R$ 180 mil por falta de convênio para acolhimento de menores

A decisão se trata de cumprimento provisório de decisão em Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público

Mais notícias