keyboard_backspace

Página Inicial

Economia

Guedes diz que recuo na economia será menor que o esperado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje (19) que a economia brasileira está em recuperação e o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano será menor do que o esperado inicialmente. O PIB […]

X
Foto: Alan Santos/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje (19) que a economia brasileira está em recuperação e o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano será menor do que o esperado inicialmente.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. “A previsão inicial do FMI [Fundo Monetário Internacional] e outras instituições financeiras era que o PIB brasileiro cairia quase 10%, ou mais e nós revisamos para 5% a 5,5%, metade da estimativa inicial. Mas pensamos que vai ser muito menos do que isso: 4% de queda”, afirmou o ministro em vídeo gravado e transmitido em reunião virtual da Cúpula da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.

Em setembro, quando a última estimativa foi divulgada, a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia manteve a projeção para a queda da economia, neste ano, em 4,7%. Em pesquisa do BC ao mercado financeiro divulgada hoje, a previsão de bancos é que ao PIB terá retração de 5% em 2020.

Investimentos e teto dos gastos

O ministro afirmou ainda que é preciso transformar “a onda de consumo” estimulada pelo auxílio emergencial, que sustentou as pessoas mais vulneráveis na crise gerada pela pandemia da covid-19, em um “bom de investimentos”.

Segundo o ministro, o governo manterá a agenda de reformas e quer abrir a fronteira de investimentos, com mudanças em marcos regulatórios, mais concessões e privatizações. Ele citou a aprovação do marco do saneamento pelo Congresso Nacional e lembrou de outras propostas como do gás natural.

Guedes defendeu ainda o teto de gastos para controlar as contas públicas. De acordo com o ministro, enquanto a classe política não tiver controle sobre o orçamento, por conta das indexações que existem atualmente, não será possível eliminar o teto de gastos. “Se desindexarmos o orçamento, se fizermos desobrigação, desvincularmos todos esses gastos e a classe política tomar controle do orçamento novamente, como em qualquer outro país, poderíamos nos dar ao luxo de liberar esse teto”, disse.

O ministro acrescentou que a manutenção do teto é uma “grande luta”. “Em alguns momentos há até luta interna, fogo amigo, pessoas aqui que querem gastar dinheiro e mandam sinais mistos para o mercado, isso é muito ruim”, disse. Guedes destacou que o presidente Jair Bolsonaro tem dado apoio para a manutenção do teto dos gastos.

Fonte: Agência Brasil

Economia

Confiança do empresário cresce em julho, mas consumo ainda é tímido em SC

A Confiança do Empresário do Comércio atingiu 124,8 pontos, o índice mais alto desde o início da pandemia.

Economia

Santa Catarina terá ampliação de suprimento de Gás Natural

Após conclusão da Chamada Pública da SCGÁS, suprimento adicional destinado à Região Sul do Estado será fornecido pelo modal GNL a partir de março de 2022

Economia

Governo de SC aumenta parâmetro do ICMS para gasolina em 7%

Os valores são um preço médio considerado pela Fazenda para estabelecer a cobrança do ICMS

Economia

Santa Catarina gera 126 mil empregos com carteira assinada no primeiro semestre

Os dados são do Ministério da Economia e constam no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na manhã desta quinta-feira, 29

Economia

SCGÁS assina contrato inédito para fornecimento extra de gás natural

O contrato prevê a entrega de 273,7 milhões de m³ de gás natural em cinco anos, cerca de 150 mil m³/dia

Mais notícias

Geral

Médico é presenteado com galinhas por paciente após cirurgia

O paciente de Álvaro é um idoso, que passou por uma cirurgia de próstata. Ele recebeu duas galinhas em agradecimento ao procedimento, que foi gratuito.

Animal

Duelo entre duas capivaras termina com morte em Bombinhas

Capivara foi resgatada e levada para a clínica Pet Farma em Bombinhas