keyboard_backspace

Página Inicial

Economia

Governo do Estado deve encaminhar à Alesc proposta de reajuste de 10,5% no salário mínimo regional

O chefe do Executivo afirmou ainda que conversará com os parlamentares para que o projeto seja aprovado sem emendas e com pagamentos retroativos a 1 de janeiro

Divulgação
Siga-nos no google-news

As quatro faixas do salário mínimo regional terão um reajuste médio de 10,5% em Santa Catarina. O acordo firmado entre os sindicatos patronais e dos trabalhadores foi entregue ao governador Carlos Moisés na tarde desta quarta-feira, 26, em Florianópolis. Agora, o Governo do Estado encaminhará, em regime de urgência, um projeto de lei à Assembleia Legislativa com os novos valores, de R$ 1.416, R$ 1.468, R$ 1.551 e R$ 1.621. Para efeito de comparação, o salário mínimo nacional para 2022 ficou em R$ 1.210.

Segundo o governador Carlos Moisés, Santa Catarina é um exemplo na questão, pois o acordo é firmado entre as partes antes mesmo do encaminhamento às autoridades. O chefe do Executivo afirmou ainda que conversará com os parlamentares para que o projeto seja aprovado sem emendas e com pagamentos retroativos a 1 de janeiro.

“Tão logo votado na Alesc, nós vamos sancionar esse projeto. Trata-se de uma matéria importante, pois regulamenta o salário mínimo regional, que é maior que o nacional, e é fruto de muito diálogo entre as partes envolvidas”, afirma o governador.

O presidente da Fiesc, Mário Cezar de Aguiar, salienta que este é o décimo segundo ano de acordo. “Mais uma vez, Santa Catarina é referência. Trabalhadores e empregadores se reúnem para definir o piso regional. Os benefícios dessa ação são enormes. É importante, pois baliza todos os pagamentos das classes não organizadas”, conta.

O coordenador sindical do Dieese em Santa Catarina, Ivo Castanheira, destaca que, além da reposição inflacionária, houve um pequeno ganho real para os trabalhadores. “Esse é um dos projetos mais importantes para o movimento sindical. Trata-se de uma referência para todas as negociações coletivas de trabalho”, diz.

Saiba o valor do mínimo regional por faixas

O salário mínimo regional catarinense está dividido em quatro faixas, que abrangem diferentes setores da economia. Na primeira faixa, o salário passará de R$ 1.281,00 para R$ 1.416,00. Estão contemplados trabalhadores da agricultura e da pecuária; nas indústrias extrativas e beneficiamento; em empresas de pesca e aquicultura; empregados domésticos; em turismo e hospitalidade; (Redação da alínea revogada pela LPC 551/11); nas indústrias da construção civil; nas indústrias de instrumentos musicais e brinquedos; em estabelecimentos hípicos; empregados motociclistas, motoboys, e do transporte em geral, com exceção dos motoristas.

A segunda faixa verá o seu salário passar de R$ 1.329,00 para R$ 1.468,00 Esse grupo contempla os trabalhadores nas indústrias do vestuário e calçado; nas indústrias de fiação e tecelagem; nas indústrias de artefatos de couro; nas indústrias do papel, papelão e cortiça; em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas; empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas; empregados em empresas de comunicações e telemarketing; e nas indústrias do mobiliário.

A terceira faixa passará a ter um salário mínimo de R$ 1.551,00 (antes R$ 1.404,00). Compõem esse grupo os trabalhadores nas indústrias químicas e farmacêuticas; nas indústrias cinematográficas; nas indústrias da alimentação; empregados no comércio em geral; empregados de agentes autônomos do comércio.

A quarta faixa terá um mínimo de R$ 1.621,00 (antes R$ 1.467,00). Esse grupo contém os trabalhadores nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico; nas indústrias gráficas; nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana; nas indústrias de artefatos de borracha; em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito; em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade; nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas; auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino); empregados em estabelecimento de cultura; empregados em processamento de dados; empregados motoristas do transporte em geral; empregados em estabelecimentos de serviços de saúde.

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Economia

Pelo menos 20 estados anunciaram a redução do ICMS sobre combustíveis

Governadores do Ceará e do Amazonas fizeram os anúncios nesta segunda

Economia

Safra de inverno em SC tem expectativa de aumento de produção de cebola e trigo

A divulgação foi feita no canal de capacitações da Epagri

Economia

Preço do ovo aumenta 202,13% acima da inflação oficial

Pesquisa analisou o preço de 40 produtos, entre março de 2020 e maio de 2022; sendo que, a variação média de preços foi de 57,50%, ou seja, 37,60% acima da inflação oficial do período

Economia

Itapema é a 7ª cidade que mais gerou empregos em SC até maio

Segundo o governador Carlos Moisés, o resultado confirma o momento de crescimento econômico acelerado vivenciado pelo estado com a melhora do cenário epidemiológico no enfrentamento da pandemia de Covid-19

Mais notícias

Cidades

Nova creche no bairro Potecas em São José vai atender 376 crianças

Com objetivo de acompanhar cronograma de trabalhos, prefeito vistoria obra com área construída de 1.300 m2

Geral

Casa da Família promove mutirão para doação de sangue em BC

Vagas para o mutirão são limitadas e para candidatos entre 18 e 69 anos