keyboard_backspace

Página Inicial

Brasil

Governo Bolsonaro lança programa que acaba com habite-se e alvará para construções de baixo risco

O ministério da Economia realizou, nesta segunda-feira (14), o lançamento do Licenciamento Urbanístico Integrado. O projeto, além de estabelecer classificação de risco para atos públicos de liberação de direito urbanístico, cria o Mercado de Procuradores […]

X

O ministério da Economia realizou, nesta segunda-feira (14), o lançamento do Licenciamento Urbanístico Integrado. O projeto, além de estabelecer classificação de risco para atos públicos de liberação de direito urbanístico, cria o Mercado de Procuradores Digitais de Integração Urbanística de Integração Nacional (Murin), desenvolvido para a dispensa de licenciamento de alvará de construção e habite-se para obras e edificações consideradas de baixo risco, aplicando, assim, a Lei de Liberdade Econômica ao direito urbanístico.

O diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick, participou da cerimônia de lançamento do programa. Na ocasião, o secretario especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa, afirmou que a iniciativa irá beneficiar o cidadão que deseja construir no país, dando mais liberdade no processo de liberação das construções.

“Avançamos na liberdade de empreender, na liberdade dos mercados, na liberdade para contratar. A liberdade é uma das pautas prioritárias desse governo. Através da desburocratização dos licenciamentos, vamos beneficiar o cidadão e as empresas para que possam construir com mais agilidade. Consequentemente, vamos gerar mais emprego e renda, impactando diretamente na redução do desemprego”, analisou o secretário.

O tempo médio atualmente para licenciar e regularizar uma construção é de 338 dias. Através do Licenciamento Urbanístico Integrado e da Resolução nº 64/202, recém aprovada pelo Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (CGSIM), o governo vai permitir que empresas façam a gestão desses processos de regulamentação. Elas poderão atuar concomitantemente para gerar concorrência no mercado, possibilitando que o cidadão escolha qual prestadora vai operar suas licenças.

A primeira empresa a estrear os serviços será o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). O presidente da instituição, Gileno Gurjão Barreto, disse que o processo de desestatização irá melhorar bastante o procedimento de licenciamento urbanístico. “O Serpro vai atuar para facilitar a vida das pessoas e empresas que querem construir no país. O foco é melhorar a vida do cidadão, estamos à disposição para o que for necessário nesse sentido”, declarou. O setor da construção é um dos principais que movimentam a economia do país. Em 2019, produziu R$ 228 bilhões do Produto Interno Bruto (PIB).

Veja o evento de lançamento

Fonte: Agência Sebrae

Brasil

INSS divulga calendário de retomada da prova de vida

Segundo dados apresentados por Rolim, a suspensão da obrigatoriedade levou 5,3 milhões de aposentados e pensionistas a não realizarem o procedimento

Brasil

Idosa de 117 anos é vacinada contra a Covid-19

A idosa recebeu a primeira dose do imunizante Oxford/AstraZeneca dentro de casa

Brasil

Globo faz testes para Covid-19 no ‘BBB21’ após participantes manifestarem sintomas

O público e a emissora ficaram preocupados com os participantes

Brasil

Fiocruz: síndrome respiratória grave tende a aumentar em oito estados

Previsão é mais forte para o Ceará, Santa Catarina e Tocantins

Brasil

Contribuinte pode baixar programa da declaração do IR a partir de hoje

Prazo de entrega começa em 1º de março e vai até 30 de abril

Mais notícias

Cidades

Arteris começa obras para melhoria do fluxo na via marginal da BR-101 em Palhoça

Alterações são necessárias por conta do aumento da demanda na rua lateral, devido às obras de construção de terceira faixa – e também para viabilizar desvio de fluxo para via marginal

Cidades

Itajaí revoga decreto que suspendia aulas presenciais

Decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira (26). Atividades seguem normalmente na segunda (1º)