keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Fortes bombardeios levam Gaza à beira da catástrofe

MSF tratou centenas de palestinos feridos pela polícia israelense em Jerusalém

X
Médicos Sem Fronteiras

Em função dos atos de violência em Jerusalém que deixaram centenas de palestinos feridos, incluindo crianças, a organização médico-humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) considera o uso da força pela polícia israelense inaceitável, e alerta sobre o impacto devastador que qualquer escalada dos ataques na Faixa de Gaza pode causar.

“Os bombardeios israelenses estão muito mais intensos e mais fortes do que em campanhas anteriores”, disse Hellen Ottens-Patterson, coordenadora-geral de MSF nos Territórios Palestinos. “Os bombardeios implacáveis destruíram diversas casas e edifícios ao nosso redor. Não é seguro sair e ninguém está seguro dentro de casa, as pessoas estão encurraladas. Os profissionais de saúde de emergência estão correndo riscos enormes, mas necessários, para se locomover.”

O Ministério da Saúde de Gaza informou que, da noite do dia 10 de maio à manhã do dia 13 de maio, ataques aéreos israelenses mataram 67 pessoas, incluindo 17 crianças, e deixaram quase 400 feridos. As autoridades israelenses, por sua vez, relataram a morte de sete pessoas no mesmo período, vítimas de foguetes e mísseis lançados por grupos militantes palestinos em Gaza.

Os recentes ataques aéreos em Gaza ocorrem após dias de violência em Jerusalém. Durante a noite de segunda-feira, 10 de maio, equipes de MSF apoiaram a Sociedade Palestina do Crescente Vermelho (PRCS) na avaliação e estabilização de centenas de pacientes feridos pela polícia israelense. A maioria sofreu traumas e ferimentos causados por balas de borracha e granadas de efeito moral.

“Nossas equipes tiveram de lidar com ferimentos graves infligidos a homens, mulheres e crianças”, disse Ottens-Patterson. “Elas trataram crianças de até 12 anos que foram feridas por balas de borracha. Essa onda de violência foi a pior que as equipes de MSF testemunharam em Jerusalém em anos.”

Esta não é a primeira vez que MSF testemunha as consequências devastadoras da violência em Gaza. Confrontos militares anteriores entre Israel e Gaza resultaram no ferimento e na morte de milhares de civis palestinos, muitos deles crianças.

“Depois de cada guerra, cada ‘escalada’, cada onda de protestos, tratamos feridos em nossas clínicas e hospitais”, disse a coordenadora médica de MSF, dra. Natalie Thurtle. “Vemos diariamente as incapacidades e a dor que essa violência de longo prazo causa, e sabemos que, quanto mais tempo essa atual onda de violência durar, mais pessoas serão feridas e mais acabarão sofrendo as consequências, mesmo depois que os bombardeios tiverem cessado.”

“O bloqueio israelense de 14 anos a Gaza significa que o sistema de saúde local carece de muitas das ferramentas necessárias para tratar a população, mesmo em tempos normais. No entanto, de anos em anos, o sistema de saúde é obrigado a lidar com um enorme influxo de feridos: os 11 mil feridos durante a guerra de 2014; os mais de 7 mil baleados durante os protestos de 2018 e 2019; e agora as centenas de pessoas feridas em bombardeios, com dezenas de mortos desde segunda-feira.”

MSF, presente na Faixa de Gaza há mais de 20 anos, está pronta para apoiar as autoridades de saúde locais na prestação de atendimento médico vital àqueles que o necessitam. “O nível de violência e das lesões sofridas nos últimos dias é intolerável. Estamos profundamente preocupados com a segurança da população civil”, disse Ottens-Patterson.

Médicos Sem Fronteiras mantém projetos médicos e de saúde mental na Palestina porque o sistema de saúde local não contempla integralmente certas especialidades. MSF é uma organização imparcial que presta cuidados às pessoas que mais precisam, sem discriminação de raça, religião, nacionalidade ou convicção política.

Fonte: Visor Notícias

Geral

Itapema: Ruas do bairro Meia Praia recebem pavimentação asfáltica

As ruas 298, 300 e 304 já foram contempladas e a rua 266 está em fase de preparação do solo

Geral

SC Mais Moradia: Governo lança programa para combater déficit habitacional

Serão construídas casas para pessoas que vivem em situação de pobreza extrema

Geral

Morador fica coberto de fezes e urina que foram despejadas por avião comercial

Morador cuidava do jardim quando avião despejou as fezes na área

Geral

WhatsApp deixará de funcionar em milhares de aparelhos a partir de novembro

A mudança foi anunciada com antecedência para que os usuários busquem uma adaptação. Celulares de marcas como Apple, Samsung, Sony e LG, entre outras, devem ser afetados

Geral

Águas de Bombinhas recebe a Licença Ambiental para universalização do esgotamento sanitário

Deputada Ana Paula e prefeito Paulinho não mediram esforços para a liberação das licenças

Mais notícias

Cidades

Pesquisa avalia hipótese de que sombra de prédios em BC traz mais conforto do que desconforto

O objetivo é apurar o modo como as pessoas reagem às condições microclimáticas

Brasil

Polícia prende Galã da Internet que aplicou golpe de R$ 320 mil em mulheres idosas

Ele entrava em contato pelas redes sociais, iniciava um romance e depois fugia com o dinheiro das vitimas