keyboard_backspace

Página Inicial

Brasil

Doações de sangue caem 20% no Brasil

Todas as medidas de segurança em relação à covid-19 estão sendo adotadas pelos hemocentros do país desde o início da pandemia

Foto: Marcelo Camargo – Agência Brasil

Para incentivar a doação voluntária e regular de sangue, o Ministério da Saúde realiza nesta terça-feira (23) o dia D da campanha “Meu Sangue Brasileiro”. Até agora, não houve desabastecimento no país, mas, em 2020, por causa da pandemia de covid-19, houve queda no número de doações de aproximadamente 20%.

A reposição frequente dos estoques de sangue é necessária para tratar anemias crônicas, cirurgias de urgência, acidentes que causam hemorragias, complicações da dengue, febre amarela, tratamento de câncer e outras doenças graves. Este ano, o objetivo da campanha é melhorar o auxílio e a informação sobre a segurança no que diz respeito ao ato da doação de sangue em meio a pandemia.

Todas as medidas de segurança em relação à covid-19 estão sendo adotadas pelos hemocentros do país desde o início da pandemia, como condições de higiene e antissepsia adequadas na recepção dos candidatos, coleta do sangue sem exposição a aglomerações de pessoas por meio de agendamentos e distanciamento entre as cadeiras de coleta. Enquanto dá sequência à campanha de vacinação contra a covid-19, o Ministério da Saúde orienta para que os brasileiros doem sangue no hemocentro mais próximo antes de serem vacinados contra a doença.

Períodos de restrição
“A população precisa estar ciente sobre os períodos de restrição para doação de sangue após receber a vacina. Por isso, enfatizamos a importância das pessoas fazerem as doações antes de receberem a vacina. A doação de sangue é segura e não contraindica a vacinação, podendo, inclusive, receber a vacina logo em seguida à doação”, garante o coordenador-geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, Rodolfo Firmino.

Segundo dados do ministério, atualmente a taxa de doação de sangue voluntária da população brasileira é de 1,6%, número que está dentro do preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2019, o governo investiu R$ 1,5 bilhão na rede de sangue e hemoderivados no Brasil e R$ 1,6 bilhão em 2020. O valor diz respeito à aquisição de medicamentos e equipamentos, reformas, ampliação e qualificação da rede.

Fonte: Agência Brasil

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Brasil

Ministro Fábio Faria compara pesquisa do Datafolha a duendes e Papai Noel

Em agosto de 2020, no entanto, Faria comemorou um levantamento do Datafolha que mostrava que Bolsonaro havia atingido sua melhor avaliação desde o início do mandato

Brasil

Prêmio acumulado da Mega-Sena pode render R$ 605 mil por mês

Educador financeiro do C6 Bank calcula quanto o prêmio de R$ 65 milhões pode render em diferentes modalidades de investimento

Brasil

Presidente Bolsonaro sanciona MP que torna Auxílio Brasil de R$ 400 permanente

Desembolso anual do governo deve chegar a R$ 90 bilhões

Mais notícias

Brasil

Ministro Fábio Faria compara pesquisa do Datafolha a duendes e Papai Noel

Em agosto de 2020, no entanto, Faria comemorou um levantamento do Datafolha que mostrava que Bolsonaro havia atingido sua melhor avaliação desde o início do mandato

Segurança

Homem que matou mulher e filho envenenados em Itapema é condenado a 53 anos de prisão

O julgamento ocorreu no Tribunal do Júri da Comarca de Itapema