keyboard_backspace

Página Inicial

Utilidade Pública

Debate sobre igualdade racial é levado para colaboradores da Águas Camboriú

A discussão sobre a diversidade étnico -racial nas empresas é trazida de forma institucional para a equipe da concessionária Águas de Camboriú. Colaboradores se organizam em grupos para propor ações efetivas e de conscientização acerca […]

X

A discussão sobre a diversidade étnico -racial nas empresas é trazida de forma institucional para a equipe da concessionária Águas de Camboriú. Colaboradores se organizam em grupos para propor ações efetivas e de conscientização acerca do tema. O debate integra o programa de diversidade e igualdade racial “O Respeito dá o Tom”, lançado pelo grupo Aegea há 3 anos.

O objetivo principal é promover a equidade nas oportunidades de acesso à empresa e de crescimento profissional dos colaboradores que se autodeclaram pretos, pardos e indígenas. Da mesma forma, pretende que o ambiente de trabalho esteja livre de racismo, discriminações e atitudes que comprometem o respeito.

O Respeito dá o Tom promove um processo contínuo de aprendizado e conscientização sobre a temática étnico racial entre funcionários da empresa, dos mais antigos aos mais novos, independentemente da posição que ocupam. Nesses quase 3 anos de programa, foram mais de 150 ações mensais no grupo Aegea, tendo a atuação de 13 comitês locais, e um comitê corporativo com os líderes das áreas para acompanhar o planejamento estratégico. Hoje já podemos afirmar que 80% do total do grupo participou de alguma ação do programa Respeito dá o Tom.

Segundo pesquisa do Instituto Ethos, 150 anos é o tempo que as companhias brasileiras em todas as áreas vão demorar para igualar o número de pessoas negras em seus quadros, tendo em vista a proporção dessa população no Brasil. De acordo com Grazielle Machado, responsável pelo departamento de Recursos Humanos (RH) da Aegea Santa Catarina, a retomada das ações locais desenvolvida na concessionária foi uma rodada de conversa online entre os colaboradores para reafirmar os objetivos do programa. A reunião despertou o interesse de colaboradores, que se colocaram à disposição para participar do comitê local do Respeito dá o Tom.

O grupo de trabalho conta com a participação de representantes da Águas de Camboriú e também da Águas de Camboriú, Águas de Penha e Águas de Bombinhas, todas do grupo Aegea. O comitê determina as ações que são feitas nas empresas. Entre as propostas estão a manutenção das rodas de conversa para debater o assunto entre os colaboradores, parceria com instituições de ensino e incentivo ao recebimento de currículos de pessoas negras.

Fonte: Visor Notícias

Geral, Utilidade Pública

Saiba a importância do hidrômetro para sua conta de água

Além de ser muito relevante para a economia doméstica, o hidrômetro também tem uma importância social.

Utilidade Pública

Águas de Camboriú recomenda: aproveite a baixa temporada para fazer a faxina geral do imóvel

Águas de Penha recomenda a moradores e proprietários dos imóveis que aproveitem esta época do ano para fazer aquela limpeza completa na residência

Utilidade Pública

Concessão entre município e Águas de Bombinhas constrói legado para futuro da cidade

Águas de Bombinhas é uma concessionária que atua no município e possui contrato vigente de 35 anos

Utilidade Pública

Manutenção preventiva e de emergência: você sabe a diferença?

Manutenção programada, como o próprio nome já diz, acontece conforme um agendamento da concessionária

Utilidade Pública

Saiba como dimensionar o tamanho da caixa d’água do imóvel

Imóveis que possuem o reservatório não costumam sentir os efeitos do desabastecimento

Mais notícias

Segurança

Portaria com regramento sobre corridas de rua é divulgada pelo Governo de SC

A portaria 620 institui limites para a liberação de eventos do tipo corrida de rua realizados por entidades privadas ou públicas no estado

Segurança

Corpo é encontrado boiando no Rio Itajaí-Açu, no litoral de SC

Os Bombeiros Voluntários foram acionados e retiraram o corpo do rio. Segundo os bombeiros, ele não tinha identificação.