keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Cultivos de ostras e mexilhões de Santa Catarina estão livres da toxina paralisante

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca anuncia que todas as áreas de cultivos de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões de Santa Catarina estão desinterditadas. Portanto, está liberada a retirada, a comercialização e o consumo destes animais e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia.

As últimas localidades interditadas eram Laranjeiras, em Balneário Camboriú, e Praia Alegre, em Penha. Com o segundo resultado negativo para presença da toxina paralisante (PSP), nesta terça-feira, 28, elas foram liberadas.

Interdição

Desde o dia 19 de outubro, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) monitora a presença de toxina paralisante (PSP) nos cultivos catarinenses. A princípio todo Litoral foi interditado de forma preventiva. Desde então, aconteceram liberações das áreas não contaminadas.

Santa Catarina é o único Estado do país que realiza o monitoramento permanente das áreas de cultivo através do Programa Estadual de Controle Higiênico Sanitário de Moluscos. Esse programa existe em todos os países que possuem uma produção expressiva de moluscos, e é um dos procedimentos de gestão e controle sanitário da cadeia produtiva.

Geral

Banhistas encontram baleia morta em praia de São Francisco do Sul

Equipes vão realizar necropsia para identificar causas da morte do animal

Geral

Transplantes de órgãos: Governo regulamenta lei que institui selo “Santa Catarina por uma Nova Vida”

Santa Catarina ficou em segundo lugar em doações de órgãos no primeiro semestre deste ano

Geral

Menina encontrada viva em saco funerário morre pela segunda vez

Timesha Beauchamp, de 20 anos, teve graves danos no cérebro após passar horas em saco funerário

Geral

Gêmeas siamesas separadas em hospital recebem alta e se veem pela primeira vez

Meninas foram tratadas em Londres e foram liberadas para voltar para casa no Paquistão

Geral

Baleia que encalhou em Imbituba será tratada em Centro de Reabilitação de Florianópolis

De acordo com a médica veterinária e responsável técnica do PMP-BS, em Florianópolis, Marzia Antonelli, o cetáceo estava prostrado, bastante estressado, mas responsivo aos reflexos vitai

Mais notícias