keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Criminoso que esquartejava vítimas é condenado por mais um homicídio

Este e a segunda condenação por homicídio do criminoso que ganhou a alcunha de Picadinho por matar e esquartejar suas vítimas

Fábio da Silva, criminoso que ficou conhecido como “Picadinho” por matar e esquartejar suas vítimas, foi condenado pelo segundo homicídio em sessão do Tribunal do Júri da Comarca de Caçador, realizada nesta quarta-feira (21/11). O Promotor de Justiça João Paulo de Andrade, que representou o Ministério Público no julgamento, considerou a pena de pouco mais de 10 anos de reclusão insuficiente e já anunciou que recorrerá da decisão.

A denúncia apresentada pelo Ministério Público relata que o réu, em 19 abril de 2016, ao sair de trabalho por volta das 21h30, se deslocava de carro quando avistou a vítima, Clarisse Justino de Andrade, no local onde se prostituía. Fábio, então, foi em casa, buscou uma pá cortadeira e voltou ao local onde estava a mulher.

Para dissimular sua intenção, Fábio combinou um programa com Clarisse e levou-a a um local ermo, onde teve relações sexuais com ela. Em seguida, dirigiu por cerca de 70 metros, parou o carro, passou a agredir a vítima até que ficasse inconsciente e asfixiou-a com uma fita plástica que trazia no porta-luvas. O corpo foi abandonado próximo ao veículo.

Dois dias depois, o réu voltou ao local com a intenção de ocultar o crime. Com uma faca e a pá cortadeira esquartejou o corpo da vítima – ação esta que filmou com o própio celular – e o enterrou nas proximidades. O cadáver foi encontrado somente no dia 5 de maio, com auxílio de cães farejadores, após Fábio confessar o crime. De acordo com o Promotor de Justiça, a vítima não foi escolhida ao acaso. Ela teria se esbarrado na esposa de Fábio em uma festa e ele acreditava que as duas tiveram um relacionamento amoroso.

Os jurados reconheceram a autoria dos crimes de homicídio – qualificado por ter sido praticado por motivo fútil, por motivo torpe, por meio cruel e mediante dissimulação ¿ e de destruição de cadáver. A pena aplicada pelo Juízo do Tribunal do Júri foi de 10 anos, um mês e 24 dias de prisão, a qual o Promotor de Justiça considera insuficiente em especial em função da vida pregressa do criminoso.

Fábio, além de condenações por furto qualificado e ocultação do cadáver do próprio pai – de cuja morte também é suspeito – foi condenado por mais um homicídio, da vítima Lucas Pereira, que foi, como Clarissa, assassinado e esquartejado. “Os psiquiatras afirmam que este indivíduo é de alta periculosidade. O crime atribuído a ele assume uma dimensão muito maior pela crueldade”, justifica o Promotor de Justiça.

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Segurança

Empresário de Jurerê suspeito de dopar e estuprar mulher tem prisão mantida pela Justiça

Audiência de custódia ocorreu na tarde desta sexta-feira. Estupro aconteceu em 2019, segundo MPSC.

Segurança

Homem é preso por descumprir medida protetiva contra a ex-mulher em Gaspar

Ela possuía medida protetiva de afastamento e proibição de manter contato desde o ano passado

Segurança

Operação conjunta apreende 400 mil maços de cigarros contrabandeados em Chapecó

Veículo, a mercadoria e o condutor foram entregues na Polícia Federal

Segurança

Operação desmantela quadrilha de traficantes que abastecia o Oeste de SC

Foi constatada a existência de um grupo formado por pelo menos seis pessoas associadas para a traficância de drogas ilícitas entre Maravilha e Chapecó

Segurança

Trânsito de Balneário Camboriú sofrerá alterações devido à Marcha para Jesus

Agentes de trânsito estarão no local, monitorando o fluxo de veículos durante a intervenção

Mais notícias

Cidades

Termina greve dos servidores de Florianópolis, após mais de uma semana

Trabalhadores voltam aos postos imediatamente. Greve começou em 15 de junho.

Segurança

Empresário de Jurerê suspeito de dopar e estuprar mulher tem prisão mantida pela Justiça

Audiência de custódia ocorreu na tarde desta sexta-feira. Estupro aconteceu em 2019, segundo MPSC.