keyboard_backspace

Página Inicial

Coronavírus

Covid-19 tem como consequência a sarcopenia

Doença pode acarretar perda muscular; SBOT-RS explica o problema

Instituto Adolfo Lutz

Entre tantos impactos deixados pelo contágio da Covid-19 em muitas pessoas está a sarcopenia – perda muscular que acomete pacientes que tiveram casos moderados até os mais graves. Pesquisa realizada pelo Hospital Sírio-Libanês e publicado no periódico Frontiers in Physiology constatou que em hospitalizações por causa do vírus, a perda de massa muscular da coxa chega a 3,7% por dia.

Com a perda da força muscular e funcional, a tendência é o aumento dos riscos de quedas e fragilidades motoras que comprometem significativamente a qualidade de vida da pessoa, ressalta o presidente da SBOT-RS (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Rio Grande do Sul), Fábio Krebs. O tempo prologando no leito, uso de ventilação mecânica ou diálise e medidas invasivas são alguns dos fatores que resultam na perda de força muscular. Mas o especialista lembra que a situação não atinge apenas pessoas que tiveram Covid. “A sarcopenia é um problema característico do envelhecimento, já que a queda dos níveis de testosterona, por exemplo, impacta na síntese de proteína, fundamental para a formação dos músculos”, fala. “Tem, ainda, a questão de alterações hormonais, que podem influenciar no aparecimento da sarcopenia e, por isso, as mulheres estão mais expostas à patologia”, completa.

O médico lembra também que alguns hábitos são determinantes para prevenir ou acelerar esse processo, podendo atingir, inclusive, pessoas jovens. “Sedentarismo, má alimentação, consumo excessivo de álcool e fumo estão entre os fatores que contribuem para o problema”, lista.

Entre os sintomas da perda muscular estão dificuldade em realizar atividades cotidianas, como subir escada, trocar uma lâmpada e carregar compras, e desequilíbrio ao andar em terrenos acidentados, como ruas com desníveis e buracos. “Quando a perda muscular já está em estado avançado, quedas costumam ser constantes”, ressalta o médico.

O especialista salienta que, aqueles que não têm o problema, mantenham um adequado condicionamento muscular, praticando atividades físicas. Já os que estão com o problema, recomenda-se procurar um médico ortopedista para receber as orientações e cuidados para uma recuperação muscular adequada.

Sobre a SBOT-RS

A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Rio Grande do Sul (SBOT-RS) possui comitês com ortopedistas especializados, com expertise para esclarecimentos sobre os mais variados temas relacionados à especialidade.

As fontes médicas da SBOT-RS estão à disposição para reportagens e entrevistas sobre a saúde na área ortopédica, como os cuidados com o teletrabalho e home office atrelados à ortopedia; lesões por esforço repetitivo pelo uso constante de celulares, computadores e videogames (como tendinite, por exemplo); problemas na coluna; acidentes nos esportes com lesões, acidentes domésticos e de transportes com lesões, deformidades, pé diabético, fraturas, dicas preventivas para a prática segura de atividades profissionais, esportivas e no dia a dia, para melhor qualidade de vida, entre outros assuntos.

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Coronavírus

Maiores de 40 anos já podem tomar segunda dose de reforço em SC

O Ministério da Saúde também atualizou os esquemas vacinais de quem recebeu a dose da vacina da Janssen.

Coronavírus

Governo libera compra de vacinas contra covid pela iniciativa privada

Medida provisória não trará prejuízos ao Plano Nacional de Vacinação

Coronavírus

Aplicação da quarta dose para idosos de 60 anos ou mais e trabalhadores de saúde começa nesta terça-feira em Itajaí

Imunizante estará disponível nas 30 unidades de saúde do município, de acordo com estoque

Coronavírus

Dia D imuniza pessoas contra Covid-19 e gripe em Balneário Camboriú

Até o momento, 86% da população vacinável do município recebeu as duas doses contra Covid-19 e 43% da população maior de 18 anos tomou a dose de reforço

Mais notícias

Segurança

Polícia Civil investiga morte de bebê de cinco meses em Criciúma

Óbito ocorreu dentro de casa na noite de sexta-feira (24)

Geral

Familiares se despedem do jornalista Dom Phillips em Niterói

Família disse que seguirá atenta aos desdobramentos das investigações