keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Corpo de mulher morta após dar carona em Piçarras ainda não foi encontrado

Não há pistas sobre o paradeiro da vítima mesmo depois de um mês do desaparecimento

Divulgação

A Polícia Civil ainda não localizou o corpo de Débora Custódio Arruda, de 56 anos, que foi morta após dar carona para um homem na saída de um supermercado na cidade de Balneário Piçarras. O carro dela foi encontrado no Paraná, dias depois da carona.

Segundo informações da Polícia Civil, não há pistas sobre o paradeiro da vítima mesmo depois de um mês do desaparecimento.

Segundo um homem que se apresentou à polícia no Paraná junto com um pastor, a mulher foi morta asfixiada. Depois, outros dois suspeitos, presos no dia 23 de maio, teriam entrado no carro. Os três foram até Joinville onde o corpo teria sido deixado às margens da BR-101. Mesmo com a localização, até agora, o corpo não foi encontrado pela polícia.

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Segurança

Vizinhos escutam gritos de socorro e descobrem que homem foi morto com 29 facadas

A vítima levou 29 facadas no corpo, a maioria na região do abdômen

Segurança

Policial mata a irmã a tiros e é presa pelo marido, que também é PM

Rhaillayne Oliveira de Mello, 23 anos, foi presa pelo próprio marido, que também é PM

Segurança

Polícia Civil prende homem que estava foragido por tráfico de drogas em Tubarão

O homem foi preso ainda em flagrante pelos delitos de tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo

Segurança

Adolescente ameaça cometer atentado em escola de SC

O jovem é diagnosticado com transtorno mental e foi identificado e medicado

Mais notícias

Segurança

Vizinhos escutam gritos de socorro e descobrem que homem foi morto com 29 facadas

A vítima levou 29 facadas no corpo, a maioria na região do abdômen

Segurança

Policial mata a irmã a tiros e é presa pelo marido, que também é PM

Rhaillayne Oliveira de Mello, 23 anos, foi presa pelo próprio marido, que também é PM