keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Comandante acertou ao desembarcar passageira doente que não tinha atestado para o voo

Sem local para pernoitar, a mulher conseguiu ficar na casa de um conhecido e embarcou posteriormente

X

A 6ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em matéria sob a relatoria do desembargador André Luiz Dacol, entendeu correta a ação do comandante de uma aeronave que determinou a retirada de passageira do avião ao constatar que ela recém recebera atendimento ambulatorial por crise de hipertensão mas embarcara sem atestado médico que garantisse sua presença no voo. Para a câmara, o comandante agiu acertadamente ao determinar o desembarque, em respeito a segurança de todos os passageiros e da própria demandante.

Para realizar um curso profissional, a mulher embarcou no Oeste do Estado para a Capital. Durante a realização do curso, teve uma crise nervosa e precisou ser atendida pelo Samu, quando foi constatado alteração em sua pressão arterial. Após o atendimento, a mulher seguiu para o aeroporto e embarcou na aeronave sem relatar o problema de saúde. Já na cabine do avião, ela avisou a chefe das comissárias que a chamaria se voltasse a passar mal. Assim, a passageira foi levada até o comandante que, diante da ausência do atestado médico, optou por determinar seu desembarque.

Sem local para pernoitar, a mulher conseguiu ficar na casa de um conhecido e embarcou posteriormente. A passageira resolveu ajuizar ação de indenização de danos morais, porque alegou que sofreu situação vexatória. Em 1º grau, o pleito da mulher foi atendido e a companhia aérea foi condenada a indenizá-la em R$ 10 mil. Inconformados com a sentença, a mulher e a empresa recorreram ao TJSC. A passageira pediu a majoração da verba para R$ 50 mil. Já a companhia alegou que o comandante seguiu as normas do Código Brasileiro de Aeronáutica.

O recurso da passageira foi negado e, o da empresa área, provido. “Aliás, ante a possibilidade de novo atendimento emergencial (alertada pela própria autora à chefe das comissárias), o desembarque foi a medida mais adequada e cautelosa ao caso concreto, sobretudo porque, como bem asseverou o sentenciante, ‘há poder de polícia por parte do comandante, até mesmo para evitar situações extremas que possam resultar no comprometimento da segurança do próprio voo”, ressaltou o relator em seu voto. A sessão foi presidida pela desembargadora Denise Volpato e dela também participou a desembargadora Bettina Maria Maresch de Moura.

Segurança

Vizinhos brigam por causa de galinhas e confusão termina na polícia

Uma briga entre vizinhos registrada por volta das 17h deste domingo (22) em Indaial, no Médio Vale do Itajaí, terminou em confusão, agressão grave e chamado à Polícia Militar no bairro Arapongas. De acordo com […]

Segurança

Traficantes são presos com carros de luxo e aparelho de som avaliado em R$ 200 mil em SC

A Polícia Civil realizou a 2ª fase da Operação “Língua Solta”, em Içara, no Sul do Estado, e cumpriu cinco mandados de prisão preventiva e outra sete mandados de busca e apreensão. Foi na sexta-feira […]

Segurança

Vídeo: Baile funk com aglomeração termina com uma pessoa baleada em Florianópolis

Um homem foi baleado durante um baile funk registrado no Morro do Mocotó na manhã deste domingo (22) em Florianópolis. Os disparos teriam ocorrido após uma briga generalizada na saída da festa que, além de […]

Segurança

Acusado de participar de 18 assassinatos é preso se preparando para andar de ‘jet ski’ em Bombinhas

Neste domingo (22), o homem mais procurado do Rio Grande do Sul foi preso na cidade de Bombinhas. O Gordo Dé, como é conhecido, possuía 11 mandados de prisão em aberto. 10 deles são por […]

Segurança

Vídeo: PRF apreende cerca de 25kg de cocaína em Navegantes

A droga estava em uma mala no interior de uma Vw/Saveiro com placas de Balneário Camboriú

Mais notícias