keyboard_backspace

Página Inicial

Mundo

Cientistas confirmam que a vida realmente passa diante dos olhos na hora da morte

Tal percepção foi revelada por padrões de ondas rítmicas semelhantes às que são registradas durante o sono ou a meditação

Pixabay/Imagem Ilustrativa

A morte de um paciente de 87 anos com epilepsia que era avaliado por cientistas nos últimos momentos de sua vida fez com que os profissionais obtivessem dados inéditos sobre como o cérebro se comporta no momento derradeiro.

O que impressionou os estudiosos foi a indicação de que as lembranças da vida são resgatadas nos últimos momentos de vida. Tal percepção foi revelada por padrões de ondas rítmicas semelhantes às que são registradas durante o sono ou a meditação.

A partir daí um estudo indicou que as lembranças da vida realmente “passam diante dos olhos” na hora da morte, como é amplamente disseminado pelo conhecimento popular.

“Algo que podemos aprender com esta pesquisa é: embora nossos entes queridos tenham os olhos fechados e estejam prontos para nos deixar e descansar, seus cérebros podem estar revivendo alguns dos melhores momentos que vivenciaram em suas vidas”, afirmou Ajmal Zemmar, neurocirurgião da Universidade de Louisville, EUA

O estudo desse caso, revisado por pares, foi publicado no periódico “Frontiers in Aging Neuroscience” nesta terça-feira (22).

Segundo o neurocirurgião Ajmal Zemmar, da Universidade de Louisville, EUA, foram medidos 900 segundos de atividade cerebral perto do instante da morte do paciente.

“E estabelecemos um foco específico para investigar o que aconteceu nos 30 segundos antes e depois que o coração parou de bater”, acrescentou Zemmar, quem organizou o estudo, conforme o portal “Eurekalert”. “Pouco antes e depois que o coração parou de funcionar, vimos mudanças em uma faixa específica de oscilações neurais, as chamadas oscilações gama, mas também em outras como oscilações delta, teta, alfa e beta”.

A ondas cerebrais do tipo gama mencionadas por Zemmar são referentes a funções altamente cognitivas, relacionadas à concentração, sonhos, meditação, recuperação de memória e processamento de informações. Por isso, o cientista avalia que o cérebro pode reproduzir uma última lembrança de eventos importantes da vida pouco antes da morte através da geração de tais oscilações.

Fonte: Visor Notícias

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Mundo

Chefe proíbe que funcionários façam o “número 2” no banheiro da empresa

A história foi compartilhada na plataforma Reddit e não deixou os usuários muito felizes com as exigências do chefe

Mundo

Noivo se empolga, atira para cima durante casamento e mata convidado

Manish Madheshia, que é do Exército indiado, disparou para o alto para comemorar o casamento

Mundo

Homem fica com as pernas presas para fora de elevador

Segundo informações divulgadas pelo Malaysia Gazette, o acidente está sendo investigado

Mundo

Suprema Corte dos EUA aumenta acesso a porte de armas e derruba lei estadual

Direito estabelecido pela segunda emenda poderá reverberar nos estados

Mundo

Idoso solitário pede pizza para que entregador o ajude a se deitar

Ao longo do vídeo, o idoso parece dar as instruções ao entregador sobre como ajudá-lo o máximo possível até chegar à cama

Mais notícias

Segurança

Vizinhos escutam gritos de socorro e descobrem que homem foi morto com 29 facadas

A vítima levou 29 facadas no corpo, a maioria na região do abdômen

Segurança

Policial mata a irmã a tiros e é presa pelo marido, que também é PM

Rhaillayne Oliveira de Mello, 23 anos, foi presa pelo próprio marido, que também é PM