keyboard_backspace

Página Inicial

Cidades

Cesta básica apresenta segunda alta consecutiva em Itajaí

Aumento de 2,16% foi impulsionado pelo preço de produtos como a farinha de trigo, o tomate e o pão francês

X

O custo da cesta básica em Itajaí teve a segunda alta consecutiva, com aumento de 2,16%, passando de R$337,58 em janeiro, para R$ 344,87 em fevereiro. Com estas duas elevações seguidas a cesta básica já aumentou o equivalente a 8,99%, em 2018. Os dados são do Projeto Cesta Básica Alimentar, da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), que elabora o indicador com monitoramento da Uni Júnior, a partir de pesquisa realizada em seis supermercados da cidade.

 

Os principais produtos responsáveis pela alta foram: a farinha de trigo (16,45%), o tomate (13,98%), o pão francês (5,97%), o leite longa vida (3,68%), a carne (2,16%), a banana (2,15%) e a manteiga (1,13%). Destes, o tomate e a banana branca apresentaram três altas consecutivas, os demais produtos tiveram queda de preço na apuração de janeiro.

Mesmo com o aumento no custo total da cesta básica, alguns produtos tiveram redução de preço, são eles: a batata (15,22%), o açúcar (8,83%), o café em pó (7,65%), o feijão preto (4,31%), o óleo de soja (4,10%) e o arroz (3,15%).

Na comparação entre o preço de fevereiro deste ano e o mesmo período de 2017, o tomate está mais caro em 68,55% e o feijão está 31,02% mais barato. A carne ainda é o produto com maior peso sobre o custo total da cesta básica, representa atualmente 37,73%, seguido do pão com 15,43% e da manteiga com 7,80%.

O professor Jairo Romeu Ferracioli, economista e professor responsável pelo projeto, afirma que a alta no custo da cesta básica já era esperada em função das condições climáticas – reflexo das chuvas de janeiro, do aumento do consumo na região com a vinda de turistas e, principalmente, da elevação no preço da gasolina e do diesel. “Para os próximos meses, o comportamento dos preços novamente dependerá muito do clima – geralmente é um mês com clima mais ameno, da variação do preço dos combustíveis e do custo da conta de energia elétrica”, prevê.

Poder de compra do trabalhador

Com a alta apresentada no último mês, o poder de compra do trabalhador assalariado em relação a alimentos básicos teve piora. O custo da cesta básica sobre o salário mínimo passou de 35,38% em janeiro para 36,15% em fevereiro, acima do ideal de 33,34%. Em termos de horas de trabalho para aquisição da cesta são necessárias 79 horas e 31 minutos de um total de 220 horas mensais.

Cidades

Porto Belo realiza mutirão de ultrassonografias

Mais de 50 pacientes participaram deste mutirão, que teve como objetivo diminuir a fila de espera para estes tipos de exames

Cidades

Sobem os preços da Cesta Básica em Itajaí

Procon sugere aos consumidores pesquisar os preços antes da compra dos produtos essenciais

Cidades

Vídeo: Trabalhadores fazem protesto contra lockdown em Balneário Camboriú

Na tarde desta quarta-feira (03), trabalhadores de bares, restaurantes e casas noturnas fizeram uma manifestação na marginal da BR-101 na cidade de Balneário Camboriú. O grupo usou palavras de ordem contra o lockdown decretado pelo […]

Cidades

Guias do IPTU 2021 parcelado já estão disponíveis em Itapema

O vencimento da primeira parcela é no dia 22 de março

Cidades

Porto Belo apresenta projeto da pavimentação do Morro de Zimbros

O Governo Municipal já está com o valor necessário para a execução da obra em caixa e o projeto foi desenvolvido através da Amfri

Mais notícias

Geral

Desenvolvimento Social entrega seis câmaras frias para agricultura familiar no Oeste

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social entregou seis câmaras frias para a agricultura familiar para Chapecó, Pinhalzinho, Bom Retiro, Lages, Canelinha e Xanxerê – uma para cada município. Os equipamentos são para modernizar as […]

Geral

Brasil é o país com maior número de vítimas de roubo de dados na internet

O percentual de usuários brasileiros que tentou abrir pelo menos uma vez links enviados para roubar dados representa 19,9%