keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Celesc alerta para perigo de vegetação na rede elétrica

A queda de vegetação sobre os cabos da rede elétrica é a causa de 15% de todas as interrupções acidentais no fornecimento de energia elétrica, maior índice entre todos os tipos de acidentes com a […]

X
Divulgação

A queda de vegetação sobre os cabos da rede elétrica é a causa de 15% de todas as interrupções acidentais no fornecimento de energia elétrica, maior índice entre todos os tipos de acidentes com a rede elétrica em Santa Catarina. Em regiões como o Planalto Norte, o Planalto Serrano, Meio-Oeste e Oeste catarinense, onde há forte presença de áreas de reflorestamento de eucaliptos e pinus e também de araucárias, o problema é ainda mais grave.

“Além da interrupção no fornecimento de energia, o contato direto das árvores, galhos e cascas arremessadas sobre os condutores pode causar curto-circuito e prejuízos aos consumidores, principalmente aos produtores de fumo, de leite e agroindústrias do meio rural”, explica do diretor de Distribuição, Sandro Levandoski. Somente nos seis primeiros meses de 2020, o custo com poda e roçada na área de concessão da Celesc foi de quase R$ 9,5 milhões.

Na região atendida pela Unidade de São Bento do Sul da Celesc, sendo os municípios de Rio Negrinho, Campo Alegre e São Bento do Sul são as áreas rurais destes três municípios que mais sofrem com a falta de energia pela vegetação próxima à rede. Para diminuir as consequências desse problema é fundamental o envolvimento de toda a sociedade. “Nas áreas particulares, o plantio e a manutenção de árvores em distância segura da rede elétrica são soluções simples que devem ser adotadas pela população”, afirma o gerente da Unidade São Bento do Sul, Carlos Alberto Becker Júnior.

Gladimir Jeremias, gerente do Núcleo Planalto, ressalta também a necessidade de atenção por parte dos proprietários dos imóveis na realização de podas, que devem ser realizadas por pessoas habilitadas para evitar acidentes. “Caso necessário, a Celesc pode acompanhar o trabalho, desde que solicitado com antecedência”, explica. Além disso, deve-se dar atenção à vegetação nativa que, por lei, não pode ser derrubada, a menos que cause risco de vida. Neste caso, o Corpo de Bombeiros deve ser acionado para realizar o procedimento adequado.

Siga as medidas de segurança:

– A Celesc deve ser informada quando houver corte de árvores de grande porte próximas à rede elétrica.

– Caso um fio arrebente e caia, deve-se considerar a rede energizada, isolar a área e não permitir que ninguém se aproxime. O proprietário também deve pedir auxílio à Celesc pelo telefone 0800 048 0196.

– O cuidado com a operação de máquinas agrícolas também é de extrema importância. Sempre que forem realizados serviços próximos à rede elétrica, deve-se verificar se não há possibilidade de encostar alguma parte móvel da máquina nos fios.

– As queimadas nas proximidades da rede também são definitivamente perigosas, sendo primordial não acontecerem no local. Mesmo que o fogo não chegue perto dos fios, postes ou torres, o calor pode provocar curtos-circuitos.

– O proprietário da área de reflorestamento pode sofrer ações judiciais por descumprimento da lei, podendo ser responsabilizado pelos danos causados a terceiros e à Celesc.

Fonte: Visor Notícias

Geral

Motorista de 37 anos morre após bater veículo em caminhão na BR-280

Vítima ficou presa nas ferragens e morreu no local

Geral

Covid-19: Começa a valer neste sábado toque de recolher em Santa Catarina

Atendendo definições previamente estabelecidas em conjunto com prefeitos, demais Poderes e autoridades de Saúde, o Governo de Santa Catarina publica na edição desta sexta-feira, 4, do Diário Oficial do Estado (DOE), o decreto com novas […]

Geral

Área de serviço de madeira fica destruída pelas chamas em São João Batista

Um incêndio destruiu uma área de serviço de madeira durante a noite de sexta-feira (04), na rua Canudos, bairro Tijipió, em São João Batista.  O local fica afastado da residência. Segundo os bombeiros, o espaço […]

Geral

Justiça decidirá se PM com restrição psiquiátrica poderá participar de aulas de tiro

A desembargadora Denise de Souza Luiz Francoski, em decisão monocrática terminativa, declinou competência às Turmas Recursais para analisar pedido de efeito suspensivo em sentença que autorizou aluno do curso de sargento da Polícia Militar a […]

Geral

Pai que abusava da filha enquanto mãe trabalhava é condenado a 35 anos de prisão em SC

Os abusos ocorreram ao longo de dois anos, dentro da casa da família,

Mais notícias