keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Aplicativos de hospedagem seguem impedidos de efetuar reservas sob multa de até R$ 100 mil

Plataformas devem deixar de anunciar, reservar e intermediar hospedagens em Florianópolis

As medidas liminares para que as plataformas de hospedagem suspendam reservas e check-in de novos hóspedes enquanto perdurarem as restrições de circulação e de isolamento social seguem em Florianópolis. As restrições foram inicialmente determinadas por decretos estaduais de combate à covid-19 e já foram levantadas no âmbito estadual, mas foram estendidas pelo Município de Florianópolis.

As ações civis públicas com os pedidos liminares foram ajuizadas pelo Centro de Apoio Operacional do Consumidor contra as plataformas Airbnb, Booking.com, Decolar.com, Hoteis.com, Expedia e Vrbo. Com o levantamento das restrições no Estado, mas sua manutenção na Capital, o Ministério Público requereu a adequação das liminares para a nova situação fática. Conforme sustentou o MPSC, apesar do levantamento das medidas em relação ao setor hoteleiro em Santa Catarina, em Florianópolis elas estão mantidas por, pelo menos, mais uma semana. Desta forma, as plataformas devem seguir as mesmas regras a que estão obrigados hotéis e pousadas e suspender as reservas e check-ins na Capital.

O pedido do MPSC foi deferido pelo Juízo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Capital, mesmo órgão que concedeu as medidas liminares. Nas decisões liminares, a determinação – agora restrita a Florianópolis – é para que as plataformas deixem de anunciar, reservar e intermediar, por qualquer forma, a locação e estadia em espaços, acomodações e imóveis entre terceiros durante a vigência das restrições, sob pena de multa diária de R$ 100 mil pelo descumprimento. 

Também devem ser canceladas as reservas de acomodações, de espaços e de imóveis intermediadas por essas plataformas e cujo início coincida com o período de vigência dessas mesmas regras – desde que ainda não tenha ocorrido o ingresso no imóvel -, sob pena de multa de R$ 20 mil por espaço, acomodação ou imóvel ocupado. Da mesma forma, também está proibida a prorrogação das hospedagens já iniciadas, caso contrário as plataformas ficam sujeitas a multa diária de R$ 20 mil por reserva.

Experimente um jeito prático de se informar: tenha o aplicativo do Visor Notícias no seu celular. Com ele, você vai ter acesso rápido a todos os nossos conteúdos sempre que quiser. É simples, intuitivo e gratuito!

Geral

Primeiro clube flutuante de SC naufraga na Ilha das Cabras em Balneário Camboriú

Não havia ninguém no local quando a estrutura se desprendeu. A estrutura ficava atracada na margem direita do Rio Camboriú

Geral

Telhado é arrancado, atinge duas casas e derruba poste de energia em Porto Belo

Duas famílias ficaram desabrigadas após telhado danificar as residências

Geral

Empresas da construção civil de Itapema e Porto Belo foram alertadas sobre o ciclone pelo Sinduscon

Comunicado foi feito ainda na segunda-feira, a partir de um encontro com representantes da Defesa Civil de Itapema.

Geral

Ciclone deixa desabrigados e cenário de destruição no Litoral de SC

Com ventos de mais de 110 km/h, ciclone provocou diversos estragos no Litoral

Geral

Bombeiros são acionados para possível desabamento de casa em Porto Belo

Informação foi divulgada em relatório do Corpo de Bombeiros na tarde desta quarta

Mais notícias

Geral

Primeiro clube flutuante de SC naufraga na Ilha das Cabras em Balneário Camboriú

Não havia ninguém no local quando a estrutura se desprendeu. A estrutura ficava atracada na margem direita do Rio Camboriú

Cidades

Força-tarefa de Itapema atuou durante toda a madrugada para diminuir estragos do ciclone

Foram registrados em média 150mm de chuva nas últimas 24h e cerca de 26 mil unidades ficaram sem energia elétrica