keyboard_backspace

Página Inicial

Cidades

Águas de Bombinhas realiza apresentação do projeto de captação de água no rio Tijucas

X

Com um investimento de 45 milhões de reais, a concessionária Águas de Bombinhas apresentou os detalhes do novo sistema de captação e abastecimento de água – projeto que transforma para sempre o cenário hídrico da cidade, tornando o município 100% independente. Esses e outros detalhes foram esclarecidos pela empresa durante uma audiência pública realizada na escola municipal Maria Rita Flor, na noite de sexta-feira (29).

Além de moradores, representantes de Porto Belo, Tijucas  e prefeitura de Bombinhas, a reunião também contou com a presença do membro do ministério público federal Darlan Airton Dias. O projeto conta com 27 quilômetros de adutora que cruzam as cidades de Tijucas e Porto Belo, até chegar em Bombinhas. A captação da água ocorrerá no Rio Tijucas, no interior do município. As obras já iniciaram e a empresa pretende concluir o sistema em tempo recorde – até fevereiro de 2018.

Durante a noite a prefeita de Bombinhas, Ana Paula da Silva, iniciou fazendo um resumo dos pontos positivos da última temporada de verão. De acordo com ela, uma das conquistas do município foi a solução para o problema de vazamento de esgoto na praia. “Conseguimos resolver um problema crônico mas, apesar disso, tivemos uma situação crítica com o abastecimento”, comenta. Devido a isto, prefeitura e concessionária chegaram ao acordo de antecipar as obras do novo sistema de abastecimento.

O presidente da empresa, Ricardo Miranda, esclareceu que esta é a melhor solução, quando se pensa no planejamento a médio e longo prazo. Itapema, Bombinhas e Porto Belo são dependentes do Rio Perequê, um manancial que já não é suficiente para atender a população das cidades. “É uma grande obra que com certeza trará mudanças para a região e vai impactar de forma positiva todos os municípios envolvidos”, completa.

Ainda de acordo com ele, as cidades vizinhas também sentirão os benefícios da obra, já que atualmente precisam compartilhar a captação e abastecimento. “Depois de concluído, o projeto trará vantagens para os três municípios envolvidos, trazendo maior segurança no abastecimento e contribuindo para o desenvolvimento econômico”.

 

Alguns moradores levantaram questões sobre o trajeto da obra, principalmente no que se refere à orla da praia de Porto Belo. A diretora executiva Thais Gallina explica que a execução na praia é relativamente simples. A escavação será realizada de forma manual, próxima da rua e a tubulação será enterrada a pelo menos 1,5 metros de profundidade. “Como forma de compensação neste trecho, a empresa também fará uma revitalização da orla com paisagismo, valorizando ainda mais a região”, completa.

Já o procurador Darlan esclareceu que, após algumas entidades de Porto Belo procurarem o Ministério Público, ele solicitou algumas informações sobre o projeto. Porém, todas as licenças e documentações estão corretas, por isso a obra não foi interrompida e continua em ritmo normal. “Analisando toda a documentação não vimos razão para paralisar a obra. Sobre o fluxo de água que será captado e o consumo, percebemos que esta vazão não irá afetar o rio, podendo até mesmo ficar disponível para outras cidades no futuro”, explica.

Confira alguns detalhes do novo sistema:

·         Vinte e sete quilômetros de adutora – o trajeto passa por locais com menor quantidade possível de população, priorizando áreas afastadas.

·         Nova Estação de Tratamento de Água (ETA): será feita através de módulos. A princípio serão construídos dois módulos com capacidade de tratamento de 70l/s cada um. Posteriormente será construído um terceiro módulo, tornando a ETA completa. A capacidade total de abastecimento será de 240l/s.

·         Prazos: as obras já iniciaram e o prazo de conclusão é de fevereiro de 2018

·         Adutora feita de ferro fundido, com 500 mm. Este é o material mais resistente utilizado atualmente.

·         A ETA contará com gerador de energia. Portanto, caso ocorra queda de luz, ela terá autonomia para continuar funcionando.

·         Oficina Lítica: o trajeto da adutora vai contornar a região, a tubulação será enterrada na areia. A área será preservada e preparada para visitação de moradores e turistas.

·         A captação autorizada no Rio Tijucas é de 2% da vazão outorgável. Ou seja, a captação é a mínima possível e não irá afetar o fluxo ou quantidade de água do rio.

Cidades

Hospital Ruth Cardoso ganha pergolado para pacientes da Covid-19

Estrutura foi doada por empresários do setor da construção civil e turismo, com recursos arrecadados anteriormente para doação de novos leitos de UTI

Cidades

Balneário Camboriú flexibiliza regras contra o coronavírus

Mudança ocorre às vésperas do feriadão de Finados

Cidades

Pedreiro morre afogado após cair em rio de Santa Catarina

O corpo do homem foi encontrado boiando por moradores que o retiraram da água

Cidades

Grávida pula da janela de casa para fugir de incêndio

A gestante inalou muita fumaça e foi encaminhada ao hospital com fortes dores abdominais

Mais notícias