Penha

Águas de Penha investirá R$ 40 milhões no novo sistema de abastecimento

Foto: Divulgação/Visor Notícias

A capital nacional do turismo temático vai receber um investimento de R$ 40  milhões em saneamento básico no próximo ano. O anúncio foi feito na noite de terça-feira, 5 de dezembro, pelo diretor presidente da Águas de Penha, Ricardo Miranda,  durante a audiência pública que autorizou a repactuação do contrato de concessão antecipando importantes investimentos como a Praia de São Miguel, onde será implantado o sistema de tratamento de esgoto. Esse é o maior investimento em saneamento básico da história de Penha e vai atender o crescimento e a demanda da cidade, universalizar a distribuição de água e assegurar a independência hídrica do município.

 

De acordo com Ricardo Miranda, a previsão é de que a conclusão dos trabalhos ocorra nove meses depois do começo das obras. Durante a audiência, Miranda pediu a cooperação institucional do Executivo e do Legislativo municipal para a liberação das licenças ambientais. Ele também propôs a criação de uma comissão com representantes da prefeitura, Legislativo e Conselho Municipal de Meio Ambiente (Consema) para acompanhar o processo de liberação dos licenciamentos.

 

O montante de R$ 40 milhões será aplicado em quatro grandes obras, entre elas o  sistema de captação de  água bruta no rio Luis Alves, que contará com poço para bombas submersíveis, gradeamento, caixa de areia e uma estação de recalque de água bruta (ERAB). O sistema também contará com uma adutora com diâmetro de 500 milímetros com aproximadamente 22 quilômetros de extensão e uma Estação de Tratamento de Água (ETA) com capacidade para tratar até  325 litros por segundo. A ETA contará  com dois reservatórios de  mil metros cúbicos, centro de desidratação de lodo e Estação de Recalque de Água Tratada (ERAT).

 

O projeto prevê também a construção de uma adutora de água tratada com 400 milímetros de diâmetro e 1500 de extensão que será interligada na adutora de alimentação dos reservatórios do centro e um adutora de água tratada com de 300 milímetros e extensão de 7800 metros para interligação direta no reservatório Morro do Ouro.

 

Capacidade de tratamento                   

 

A capacidade inicial de tratamento da ETA de Penha será de 130 litros por segundo, podendo chegar a 200 litros por segundo. A vazão  de  130 litros por segundo é suficiente para o atendimento de aproximadamente 70 mil pessoas. Somando-se à vazão dos poços já existentes no sistema, estima-se o atendimento para até 80 mil pessoas. Em casos de picos de demanda na alta temporada, os reservatórios construídos juntamente à ETA auxiliarão a manutenção do abastecimento.

 

 Conforme Ricardo Miranda, também serão intensificados os investimentos para redução de perdas no sistema de distribuição com tecnologias que visam a redução de pressão na rede, setorização e macromedição, além da detecção e correção de vazamentos ocultos. Os resultados obtidos em 2017 foram significativos e impulsionaram investimentos para o próximo ano.

 

 A concessionária também realizará investimentos para ampliação da automação e telemetria do sistema, intensificando o controle operacional remoto por meio de um Centro de Controle de Operações (CCO). Além das obras no sistema de água tratada, está prevista para 2018 a antecipação de investimentos para coleta e tratamento de esgoto no município. As obras iniciarão pela praia de São Miguel, onde será construída uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) com capacidade de tratamento de 6 litros por segundo, uma estação elevatória para bombeamento do esgoto coletado até a ETE e toda a rede de coleta de esgoto da localidade.